Bilirrubinômetro

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa

ICTERÍCIA NEONATAL

Icterícia.jpg

A icterícia neonatal é caracterizada pela percepção clínica da bilirrubina, pigmento proveniente da fragmentação dos glóbulos vermelhos.Este processo ocorre no fígado e é eliminado nas fezes.

A hiperbilirrubinemia no recém-nascido surge quando o nível sérico de bilirrubina está alto, ultrapassando 5 a 7 mg%, e o fígado não foi capaz de metabolizá-la.

Icterícia Fisiológica

É caracterizado pelo aparecimento tardio, após 24 horas de vida, com predomínio absoluto dos níveis de bilirrubina indireta e aumento do nível sérico de bilirrubina <5 mg/dl por dia, acontecendo seu pico entre o 3 e 5 dias de vida.

Icterícia própria do pré-termo

Normalmente aparece no final do primeiro dia de vida, evoluindo progressivamente os níveis de bilirrubina até o 5 e 7 dias de vida, e pode alcançar níveis de até 15 mg%, com permanência até a 2ª semana de vida, e podendo se prolongar até um mês de vida.

Icterícias hemolíticas

A icterícia hemolítica acontece precocemente, com aparecimento nas primeiras 24 horas de vida. Está associada a incompatibilidade sanguínea materno/fetal e processos infecciosos ou a fatores genéticos (deficiência de glicose 6 fosfato desidrogenase, esferocitose e deficiência de piruvato quinase).

Kernicterus

A bilirrubina é tóxica para o sistema nervoso, e os altos níveis séricos desta substância pode levar a sérias disfunções neurológicas, que vai de uma encefalopatia transitória até a instalação do Kernicterus, doença caracterizada por necrose dos núcleos do tronco encefálico.

Clinicamente o Kernicterus se manifesta por alterações sensoriais e do tônus muscular, como hipo ou hipertonia, sucção débil, alterações visuais e da audição, choro de tonalidade alterada e movimentos atetóticos.

Kernicterusa.jpg

O método padrão para determinar a hiperbilirrubinemia em neonatos internados nas Unidades Neonatais continua sendo a medida da bilirrubina sérica por meio da coleta de sangue, procedimento invasivo e doloroso, que traz inúmeros malefícios ao desenvolvimento do recém-nascido, além do risco de infecção associada a técnica utilizada e a lesão da pele neonatal que abre portas para entrada de bactérias.

Após a coleta do sangue o material é encaminhado ao laboratório para análise. É preciso uma amostra e tempo razoável para que fique pronto e o tratamento iniciado.

Sangue.jpg

BILIRRUBINÔMETRO

Bilirrubinometro1.jpg

É um dispositivo de doseamento da bilirrubina transcutânea, capaz de estimar de maneira confiável os níveis de bilirrubina sérica sem a necessidade da utilização de procedimentos invasivos, utilizado na prática clínica para reduzir a coleta de sangue.

A bilirrubinometria transcutânea tem sido citado em inúmeros estudos científicos como um bom método de rastreio significativo para detectar a icterícia, reduzindo os custos, o tempo para o resultado e o início do tratamento.

O sistema desenvolvido por Yamnouchi em 1980 fazia uso de uma lâmpada Xenon, dois feixes óticos e espelhos dicróicos para filtrar os espectros necessários para a análise da concentração da bilirrubina, e serviu como base para a construção de futuros aparelhos.

Ao emitir um feixe de luz na direção à pele, o equipamento capta novamente sua reflexão, permitindo a absorção da luz pela bilirrubina que é avaliada após devidamente depurada a porção afetada pela quantidade de colágeno, melanina e hemoglobina.

Tem como desvantagem o fato de não medir efetivamente o nível de bilirrubina circulante.

É indicado para o uso em neonatos nascido com mais de 35 semanas de gestação e que não passaram por transfusão nem tratamento fototerápico.

Fototerapia-1.jpg

Funcionamento

Imagem 1.png modelo Dräger JM-103

O medidor da icterícia determina a cor amarela do tecido subcutâneo do neonato ao medir a diferença nas densidades ópticas da luz nas regiões de comprimento de onda azul (450nm) e verde (550nm).

Para se detectar os níveis de bilirrubina de uma pessoa de forma não invasiva, utiliza-se do princípio de refletância óptica, método que se baseia nas propriedades de absorção específica de cada substância.

A sonda de medição possui dois caminhos ópticos, permitindo uma medição mais precisa da amarelidão no tecido subcutâneo, evitando as influências do pigmento de melanina e da maturidade da pele.

Quando a sonda de medição é pressionada contra o esterno ou a testa da criança, a lâmpada de xenônio integrada pisca, e a sua luz passa pela fibra de vidro e ilumina a pele, fazendo com que essa luz se propague e seja absorvida na pele e no tecido subcutâneo repetidamente, até finalmente retornar ao lado do sensor da fibra de vidro.

Da luz que retorna, a parte propagada das áreas superficiais do tecido subcutâneo passa pelo núcleo interno, ou caminho óptico curto, da fibra, passando pelo núcleo externo a parte propagada das áreas profundas do tecido subcutâneo, ou caminho óptico longo, que alcança seu fotodíodo correspondente.

Ao calcular a diferença nas densidades ópticas, as partes comuns à epiderme e à derme são deduzidas, sendo obtida somente a onda do tecido subcutâneo, mostrando uma correlação linear com a concentração de bilirrubina sérica total que será convertida na concentração de bilirrubina estimada, indicada digitalmente.


Imagem 2.jpg

Espectrofotometria

Quando uma amostra é estimulada pela aplicação de uma fonte de radiação eletromagnética externa, muitos processos são possíveis de ocorrer, como a absorção de uma parte da radiação incidente, que recebe o nome de espectroscopia de absorção,no qual se mede a quantidade de luz absorvida em função do comprimento de onda.

Há também a radiação refletida, chamada de espectroscopia de fotoluminescência, caracterizado pela emissão de fótons que é medida após a absorção.

Na icterícia neonatal utiliza-se a faixa de absorção específica da bilirrubina (460nm) e da hemoglobina (460nm e 550nm).

Como a hemoglobina absorve energia no mesmo comprimento da onda da bilirrubina, utiliza-se meios para subtrair esta medida, a fim de evitar possíveis interferências, sendo utilizado um par de diodos que emitem luz na faixa de absorção de 460nm para a bilirrubina e 550nm para a hemoglobina, favorecendo o pico de absorção da bilirrubina que é de interesse no diagnóstico da icterícia.

O dispositivo do medidor possui um software de icterícia, que utiliza um coeficiente de correlação para converter a diferença nas medições dos dois caminhos ópticos em uma concentração de bilirrubina, estimada por meio de uma fórmula de cálculo que inclui os coeficientes de correlação responsáveis por determinar os testes pré clínicos.

REFERÊNCIAS

DRÄGER MEDICAL modelo JM-103. Instruções de utilizaçãon Medidor de Icterícia Dräger. A Dräger and Siemens Company. [29035-1-2.PDF]

GOULARTE, Camille Silveira. Analisador não invasivo de icterícia neonatal utilizando led laser. Universidade Positivo/Núcleo de Ciências exatas e tecnológicas. Curitiba. 2008.[1]

LEITE, Maria das Graças da Cunha et al. Comparação entre a dosagem transcutânea e plasmática de bilirrubina. Jornal de Pediatria. Rio de Janeiro. 2007; 83(3):283-6.

NAGAR, Gaurav et al. Confiabilidade dos dispositivos de bilirrubina transcutânea (bilirrubinômetros) em recém-nascidos pré-termos: uma revisão sistemática.Pediatrics. 2013 (nov); 132:871-881.

OLIVEIRA, Sara Freitas et al. Bilirrubinómetro transcutâneo: experiência de uma unidade de cuidados perinatais. Acta Pediátrica Portuguesa. 2013:44(3):113-6.

SEGRE, Conceição A.M.; BASTOS, Fernando; RIELLI, Sílvia. Avaliação da hiperbilirrubinemia neonatal por meio de um analisador não invasivo. Grupo Editorial MOREIRA JR.[2]

REGO, Maria Albertina Santiago; ANCHIETA, Lêni Márcia. Assistência Hospitalar ao Neonato. Secretaria de Estado de Saúde. Belo Horizonte, 2005. 294p.

Responsável: Paola Conceição da Silva[ http://lattes.cnpq.br/7127931665009457]