Centro Hospitalar Cova da Beira

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Centro Hospitalar Cova da Beira
Localização Cova da Beira, Portugal
Fundação
Sistema de Saúde Serviço Nacional de Saúde
Tipo Entidade Pública Empresarial
Unidades Hospital Pero da Covilhã

Hospital do Fundão

Especialidades Diversas
Site http://www.chcbeira.pt/

Introdução

O Centro Hospitalar da Cova da Beira, EPE é constituído por dois hospitais, o hospital da Covilhã e o hospital do Fundão, e pelo Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental. A sua proximidade com a Universidade da Beira Interior caracteriza-o como um Hospital Universitário. Este centro hospitalar organiza-se em cinco áreas de atuação: Área de Prestação de Cuidados, Área de Suporte à Prestação de Cuidados, Área de Inovação, Ensino e Formação, Área de Apoio à Gestão e Logística Geral e Área de Consultoria. A Área de Prestação de Cuidados, à qual demos um enfoque natural, é constituída por 13 departamentos/serviços: Departamento da Saúde da Criança e da Mulher, Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental, Serviços Médicos, Unidade de Cuidados Paliativos, Serviços de Medicina Preventiva, Serviços de Cuidados Agudos, Serviços Cirúrgicos, Serviços de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica, Serviços Farmacêuticos, Unidade de Psicologia Clínica, Unidades Gestoras de Atividade, Unidade de Apoio ao Doente e Unidade de Gestão de Cirurgia de Ambulatório [1].

Organograma Centro Hospitalar da Cova da Beira, EPE

Figura 2 - Organograma do Centro Hospitalar Cova da Beira [2]

Unidades

- Hospital Pêro da Covilhã

- Hospital do Fundão

- Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental

Objetivo

A Medicina Baseada em Evidência, praticada atualmente, é altamente dependente do modo como a informação é recolhida, guardada, processada, consultada e utilizada. Com a proliferação e especialização dos Sistemas de Informação em Saúde (SIS) e a forte aposta nos Registos Clínicos Eletrónicos para melhor gestão de dados clínicos, estes têm vindo a crescer em grande escala. Um SIS trata-se de um sistema que reúne, guarda, processa e faculta a informação de uma organização de saúde. Consiste, portanto, numa combinação de procedimentos, pessoas, tecnologias e informação com o objetivo de promover e proteger a saúde da população. É por tal motivo que, quando nos referimos a um sistema de informação, não nos referimos apenas às tecnologias da informação, já que deveremos considerar também outros fatores que são igualmente importantes, nomeadamente os processos e utilizadores [3][4][5]. Nos centros hospitalares, que são organizações complexas que possuem diversas estruturas e diversos profissionais de acordo com as diferentes especialidades que dão resposta a diferentes necessidades na prestação de cuidados de saúde, é especialmente evidente a coexistência de SIS. Este tema apresenta algumas questões que são importantes compreender para se perceber a dimensão dos desafios que são colocados às instituições de saúde. Numa altura em que estas organizações têm orçamentos restritos [6], de que forma acomodam os compromissos de aquisição de software? Qual o investimento envolvido? Paralelamente colocam-se outras questões igualmente importantes, como por exemplo: que mecanismos existem para garantir a interoperabilidade entre esses sistemas? De que forma é garantido o cumprimento dos Service Level Agreements (SLA)? Qual é o retorno do investimento para a saúde da população? Reichertz (2006) salientou a relevância de um bom Sistema de Informação para obter elevados níveis de qualidade na saúde. Quando não se tem um acesso apropriado a dados, praticamente não se podem tomar quaisquer decisões nos diagnósticos e nos procedimentos causando possíveis problemas aos doentes e à instituição [7]. Por este motivo, é importante perceber a complexidade e as características dos SIS instalados na organização.

O estudo realizado teve como objetivo fazer um retrato do panorama atual dos Sistemas de Informação da Saúde utilizados no Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB). O presente trabalho incidiu tanto nos que foram desenvolvidos internamente como nos que foram adquiridos a fornecedores externos. Como informação complementar para se compreender a dimensão do esforço financeiro desenvolvido pela entidade hospitalar, procurou-se associar à informação encontrada o seu custo para, como já referido, se perceber a dimensão do investimento nas tecnologias de informação e perceber o seu impacto no orçamento do centro hospitalar.

Métodos

O estudo teve como ponto de partida o levantamento das características do CHCB com o intuito de perceber a dimensão e complexidade do centro hospitalar. Após o levantamento das áreas, serviços e especialidades foi realizado o estudo sobre os sistemas de informação utilizados em cada área e serviço por forma a ser feito um mapeamento entre serviço/especialidade e SIS adotados. Para se compilar a informação sobre os SIS utilizados no centro hospitalar em questão, foram realizadas três etapas para a recolha dos dados necessários: 1) procedeu-se inicialmente à realização de pesquisa no site www.base.gov.pt para uma análise inicial de informação disponível: sistema de informação adquirido, serviço para o qual foi adquirido, fornecedor do sistema e valor do contrato; 2) foram estabelecidas várias tentativas de contacto com o conselho de administração e com o departamento de Sistemas e Tecnologias de Informação, para a realização de uma entrevista ou questionário. No entanto face à ausência de resposta não foi possível a sua realização. 3) Na impossibilidade de recolher informação por entrevista ou questionário e in loco foi realizada uma pesquisa de informação em documentação oficial do CHCB (Relatórios de contas 2013, 2014, 2015, 2016 e Relatório de controlo de acesso de 2017), no site oficial da entidade e noutras fontes da web (como especificado nos resultados).

Resultados

Levantamento dos Sistemas de Informação

Para melhor se perceber a abrangência dos sistemas de informação à frente descritos, importa, antes de mais, esclarecer que cada sistema pode estar orientado para ter os seguintes tipos de utilizadores, de acordo com o seu âmbito dentro da instituição:

- Pessoal administrativo;

- Profissionais de saúde - médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde;

- Gestores - diretores de serviço, administração clínica;

- Utentes.

Assim, apresentamos abaixo duas tabelas com os diferentes SIS utilizados, classificados como Registo Médico Eletrónico (RME), Registo de Paciente Eletrónico (RPE) e Registo de Saúde Eletrónico (SER). Serão ainda definidos quanto ao seu tipo, bem como à sua aplicação. Deve-se desde já definir que, quanto ao tipo podem ser: ADT (Admission-Discharge-Transfer), Financeiros e Recursos Humanos, Departamentais Clínicos (ex: LIS - Lab Information Systems, RIS - Radiology Information Systems, PACS - Picture Archiving and Communication System), de Documentação Clínica e de Comunicação (ver tabelas 1 e 2). Na tabela 1 apresentam-se as aplicações informáticas em uso mais gerais e fornecidas pelo Ministério da Saúde/Administração Central do Sistema de Saúde, I.P. (ou pelo antigo IGIF) no âmbito de contratos celebrados pelos serviços centrais, já na tabela 2 encontram-se os sistemas de informação (SI) mais específicos deste Centro Hospitalar.

TABELA 1 - APLICAÇÕES INFORMÁTICAS FORNECIDAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE/SERVIÇOS PARTILHADOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, E.P.E./ADMINISTRAÇÃO CENTRAL DO SISTEMA DE SAÚDE

Sistemas de Informação
Nome Tipo de sistema Aplicação Data inicio contrato Fornecedor Valor de aquisição Fonte
SONHO RPE ADT Cuidados de Saúde Primários e Cuidados Hospitalares -- SPMS (manutenção 3.750,00 €/ano) [8][9]
SINUS RPE ADT Cuidados de Saúde Primários -- SPMS -- [8][9]
SClinico RPE ADT Registos clínicos a realizar por médicos e enfermeiros -- SPMS -- [8][9]
CTH / Alert P1 RSE Documentação Clínica Consulta a tempo e horas -- SPMS/Alert - Life Sciences Computing, SA -- [8][9]
SIGLIC -- ADT Gestão das Listas de Inscritos para Cirurgia -- ACSS -- [8][9]
VAI RPE ADT/Comunicação Via de Acesso Integrado – Sistema de Referenciação -- SPMS -- [8][9]
GESTCARE CCI -- ADT/Comunicação Registo e monitorização da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados -- ACSS -- [8][9]
PDS RSE Documentação Clínica Plataforma de Dados da Saúde (registo de cirurgia segura, Prescrição eletrónica e outros) -- SPMS -- [8][9]
SGES -- ADT Sistema de Gestão de Entidades de Saúde -- SPMS -- [8][9]
SICA -- Financeiro Contratualização e acompanhamento -- SPMS -- [8][9]
SIDC -- Financeiro Contabilidade -- ACSS -- [8][9]
ASIS -- Documentação Clínica/ Comunicação Base de Dados para gestão dos Serviços de Sangue -- IPS -- [8][9]
WEBGDH -- Documentação Clínica/Financeiro Plataforma de Codificação clínica – ICD-9 -- SPMS -- [8][9]
FHS -- Financeiro Faturação de Hospitais a Seguradoras -- SPMS -- [8][9]
RNU -- ADT Registo Nacional de Utentes -- SPMS -- [8][9]
SIARS -- Financeiro e Recursos Humanos Administrativo -- ARSLVT, I.P -- [8][9]
SIMH -- Documentação Clínica/Financeiro Sistema de Informação para a Morbilidade Hospitalar – codificação – ICD-10 -- SPMS -- [8][9]
SIM@SNS -- ADT/Documentação Clínica Monitorização do Serviço Nacional de Saúde com três componentes: SDM@SNS, SIARS e MIM@UF -- SPMS -- [8][9]
CIT -- Documentação Clínica Certificado de Incapacidade Temporário -- ACSS -- [8][9]
ROR -- ADT/Documentação Clínica Registo Oncológico Regional -- ACSS -- [8][9]

Os SI apresentados na tabela 2 foram adquiridos para satisfazer necessidades mais específicas dos diferentes departamentos/serviços do Centro Hospitalar Cova da Beira, sendo apresentado uma breve descrição da funcionalidade no conteúdo apresentado na coluna “aplicação” da tabela.

TABELA 2 - APLICAÇÕES INFORMÁTICAS EM USO ADQUIRIDAS A FORNECEDORES EXTERNOS

Sistemas de Informação
Nome Tipo de sistema Aplicação Data inicio contrato Fornecedor Valor de aquisição Fonte
Alert® ER RME Documentação Clínica Serviço de Urgência Obstetrícia Pediatria Maio/2005 Alert - Life Sciences Computing, SA >1.000.000 €

(manutenção 22.181,00 €/ano)

[10]
Sistema Informático de Laboratório - Modulab Gold -- LIS Apoio ao laboratório de Patologia Clínica, disponibilização de resultado de análises -- Werfen Portugal Lda -- [11]
SISPAT -- LIS Anatomia patológica Julho/2016 Zmway, Lda 60.000,00€ [12]
BI&A - Provision Solution -- Business Intelligence Gestão -- Glintt 77.730,00€ [12]
GE Centricty Critical Care (Clinisoft) RME Documentação Clínica Registos na unidade de Cuidados Intensivos -- Iberdata - Equipamentos, S.A. (manutenção) 74.000,00/ano [12]
GE Centricty Anesthesia RME Documentação Clínica Ficha anestésica para bloco cirúrgico -- -- -- [12]
CI - Base de dados de Cedência de Informação -- Documentação Clínica Serviços farmacêuticos Janeiro/2012 Desenvolvimento Interno -- [12]
Sistema Pyxis 6 gavetas (4x) -- Sistema de Farmácia Gestão de medicamentos -- Glintt 40.000€ (manutenção - 12.175,00 €/ano [12][13]
Sistema de Tomografia Computorizada de 80 filas e sistema de exibição e processamento de imagem -- RIS Serviço de meios complementares de diagnóstico e terapêutica Outubro/2017 Toshiba Medical Systems SA 208.900,00 € [12]
Visage/PACS -- PACS Disponibilizar, num único ponto de acesso, Imagens de Radiologia -- -- -- [9]
HS - Radio -- PACS/Comunicação Gestão de MCDT, inscrição, transcrição e assinatura de Relatórios de Imagiologia -- Glintt - Healthcare Solutions, S. A -- [9]
Ecógrafo Samsung SW80 Elite -- RIS Serviço de Ginecologia/ Obstetrícia e Pediatria -- Speculum, Artigos Médicos, SA 70.531,00 [12]
EScribe -- PACS Aplicação de ECG's -- Mortara -- [9]
BDNGHD EMR Departamental Clínico Gastroenterologia -- -- -- [9]
MEDIGRAF -- Telemedicina Consultas médicas por telemedicina Fevereiro/2017 NOS Comunicações 64.919,00€ [12]
SGICM -- Sistema de Farmácia Unidade de farmacologia: prescrição de medicamentos -- Glintt - Healthcare Solutions, S.A. -- [8]
HUGS (Pulseiras bebes) -- Documentação Clínica Sistema de Proteção de crianças em vigor na Pediatria -- Safesis - Soluções Integradas de Segurança -- [9]
MedOn - Reconciliação Terapêutica -- Sistema de apoio à decisão clínica Serviços farmacêuticos em desenvolvimento Desenvolvimento interno em copromoção com Glintt 576.685,68€ [14]

Discussão

Neste estudo foi possível verificar que existem diversos sistemas de informação nos diferentes serviços do CHCB. Dos sistemas de informação encontrados, os de âmbito mais geral e transversal são de domínio público, enquanto que os SI de carácter mais específico e ajustado às necessidades das especialidades foram adquiridos a fornecedores externos. Para além disso, o centro hospitalar possui um pequeno número de sistemas de informação desenvolvidos internamente para suprir necessidades muito específicas, bem como um sistema com origem num projeto de investigação em co-promoção com a empresa GLINTT financiado com fundos estruturais. Foi possível também verificar que os sistemas são muito específicos e ajustam-se às características particulares de cada serviço hospitalar. Adicionalmente aos SI encontrados, percebemos que houve igualmente investimento em equipamentos tecnológicos que têm por base software para aquisição, processamento e gestão de dados da saúde. Quanto às datas de contrato e valores de aquisição, foram encontradas muitas dificuldades na sua obtenção, pelo que a sua análise ficou comprometida em certa medida. No entanto, pôde-se perceber que os valores investidos na aquisição e manutenção dos SIS são elevados. Verificou-se, também, que existe manutenção e primazia pelos mesmos, o que revela consciência de que os SIS facilitam e melhoram a prestação de cuidados de saúde e fomentam a interoperabilidade.

Conclusão

De forma geral, foi muito interessante realizar o presente trabalho. Permitiu-nos compreender melhor em que consiste um SIS, a diversidade de SIS numa única instituição de saúde, a complexidade da articulação e interoperabilidade entre todos os SIS, bem como importância do seu bom funcionamento para uma correta prestação de cuidados de Saúde. Apesar das dificuldades encontradas no acesso à informação, conseguimos reunir os SIS utilizados no CHCB quer ao nível mais geral, como ao nível particular. Pode-se acrescentar que se trata de um Centro Hospitalar organizado e que investe em SIS para melhorar a qualidade dos serviços prestados. Assim, pode-se inferir que apresenta um número considerável de SIS, notando que já são mencionados projetos SIS em desenvolvimento com vista a serem implementados brevemente. Apesar de não haver informação suficiente quanto aos investimentos feitos em sistemas de informação, percebe-se que existe uma aposta forte na área das Tecnologias da Informação, que deve envolver uma percentagem significativa do orçamento do centro hospitalar, que é acompanhada pelas organizações do estado como a SPMS e a ACSS. Em suma, deve-se salientar a necessidade da utilização dos SIS na organização, espelhada na preocupação da sua manutenção e constante atualização para que se possa evoluir e melhorar a qualidade dos serviços de saúde prestados.

Bibliografia

  1. "Relatório e Contas," Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE2016.
  2. http://www.chcbeira.pt/?cix=573&ixf=seccao&lang=1
  3. R. Haux, "Health information systems - past, present, future," (in eng), Int J Med Inform, vol. 75, no. 3-4, pp. 268-81, 2006 Mar-Apr 2006
  4. M. Alazraqui, E. Mota, and H. Spinelli, "[Health Information Systems: from closed systems to social citizenship. A challenge for the reduction of inequalities in local management]," (in spa), Cad Saude Publica, vol. 22, no. 12, pp. 2693-702, Dec 2006.
  5. E. Ammenwerth et al., "Visions and strategies to improve evaluation of health information systems. Reflections and lessons based on the HIS-EVAL workshop in Innsbruck," (in eng), Int J Med Inform, vol. 73, no. 6, pp. 479-91, Jun 2004.
  6. S. Online. (2017, 03.04.2018). OE2018: SNS com menos 51,3 milhões do que em 2017. Available: https://saudeonline.pt/2017/10/23/oe2018-sns-com-menos-513-milhoes-do-que-em-2017/
  7. P. L. Reichertz, "Hospital information systems--past, present, future," (in eng), Int J Med Inform, vol. 75, no. 3-4, pp. 282-99, 2006 Mar-Apr 2006.
  8. 8,00 8,01 8,02 8,03 8,04 8,05 8,06 8,07 8,08 8,09 8,10 8,11 8,12 8,13 8,14 8,15 8,16 8,17 8,18 8,19 8,20 "Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde," Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE2016.
  9. 9,00 9,01 9,02 9,03 9,04 9,05 9,06 9,07 9,08 9,09 9,10 9,11 9,12 9,13 9,14 9,15 9,16 9,17 9,18 9,19 9,20 9,21 9,22 9,23 9,24 "Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde," Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE2017.
  10. "Hospital já faz recolha de amostras de medula," in Urbi et Orbi - Jornal online da UBI, 274 ed, 2005.(25.04.2018). Available:http://www.urbi.ubi.pt/050503/edicao/274cov_sistema_alert.htm
  11. (março-abril.2018). Contratos Públicos Online. Available: http://www.base.gov.pt/Base/pt/Homepage
  12. 12,0 12,1 12,2 12,3 12,4 12,5 12,6 12,7 12,8 (março-abril.2018). Contratos Públicos Online. Available: http://www.base.gov.pt/Base/pt/Homepage
  13. R. Solas, "Diagnóstico e Análise Funcional da Implementação do Sistema Pyxis no Serviço de Urgência do Hospital do Espírito Santo Évora- EPE," Mestrado, Instituto Politécnico de Portalegre - Escola Superior de Saúde de Portalegre, 2015.
  14. V. Pinheiro. (2017, 25.04.2018). MedOn - Reconciliação Terapêutica. Available: http://www.poci-compete2020.pt/noticias/detalhe/Proj-17655-MedOn