Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães
Localização Guimarães, Portugal
Fundação 25/09/1991
Sistema de Saúde Serviço Nacional de Saúde
Tipo Entidade Pública Empresarial
Unidades Unidade de Guimarães

Unidade de Internamento Cabeceiras de Basto

Especialidades Diversas
Site http://www.hospitaldeguimaraes.min-saude.pt/


Introdução

As crescentes transformações que ocorrem globalmente, colocam às organizações de Saúde e não só num cenário complexo e desafiador, exigindo a adoção de novos paradigmas para que possam se adaptar a essas mudanças, reagir a elas e incrementar a sua capacidade de operar, numa busca constante pela qualidade. O desenvolvimento de novas tecnologias têm auxiliado a saúde em diversos meios, a tecnologia de informação (TI) passou a ser incorporada dentro das instituições de saúde e vem tornando o cotidiano dos profissionais das instituições e dos pacientes mais dinâmico, seguro, com maior qualidade, e redução de custos[1].

Perceber como os sistemas de Informação são implementados e como será o seu funcionamento para o gerenciamento das informações dentro dos hospitais é de extrema importância para o sucesso da própria organização. Hoje em dia, com a presença da gestão estruturada, busca-se obter a informação e extrair da mesma o máximo de conhecimento possível e revertê-lo em prol das organizações, seja na parte estrutural ou funcional, é necessário empregar todos os dados obtidos de maneira que esses se tornem ações dentro da organização[2]. Uma vez que uma das principais questões a serem levantadas pelas Instituições de Saúde em termos de aquisição ou implementação de sistemas de Informação em Saúde (SIS) é em relação aos custos envolvidos, é de extrema importância perceber como é que esta situação é ultrapassada , como os Centros Hospitalares empregam a utilização desses sistemas, qual o seu real custo, quais são os projectos existentes, e, como é garantida a sua interoperabilidade.

Objectivos

O presente trabalho teve como objectivo compreender e fazer um retrato dos principais Sistemas de informação existentes num dos centros Hospitalares Portugueses, nomeadamente o Centro Hospitalar da Senhora da Oliveira Guimarães identificando os Principais Softwares adquiridos externamente assim como os desenvolvidos internamente, os custos envolvidos, fazendo uma abordagem em relação a complexidade existente na aquisição e implementação, manutenção e garantia de todo o processo de interoperabilidade.

Organograma Centro Hospitalar da Senhora da Oliveira Guimarães, EPE

Organograma HSOG.jpg

Métodos

Após o levantamento das características do Centro Hospitalar a fim de se perceber a sua dimensão e o seu funcionamento, bem como os serviços existentes e as suas respectivas especialidades, efectuou-se uma pesquisa em www.base.gov.pt para uma análise dos sistemas existentes na instituição, assim como os custos associados e os fornecedores envolvidos. Foram estabelecidas várias tentativas de contacto In loco com os vários departamentos da instituição, assim como por via de e-mails e de telefonia móvel por forma a se obter informações sobre os sistemas existentes na instituição e todo o seu processo de interoperabilidade e, face a impossibilidade de obtenção de respostas, foram realizadas pesquisas na internet, no site do Hospital Senhora da Oliveira Guimarães (www.hospitaldeguimaraes.min-saude.pt) e das empresas prestadoras de serviços e suporte de software.


Resultados

Caracterização do Hospital

O Hospital Senhora da Oliveira Guimarães foi fundado no final do século XVI como Hospital da Misericórdia de Guimarães e funcionou com esse nome até 1974 sendo posteriormente designado como Hospital Distrital de Guimarães. Em 1991, o Hospital passou a se chamar Hospital da Senhora Oliveira Guimarães, sendo em 2005 qualificado como Entidade Pública Empresarial (EPE). O mesmo encontra-se localizado à entrada sul da cidade, no bairro de Creixomil da cidade de Guimarães, região norte de Portugal.

A abrangência direta do Hospital está sobre os Concelhos de Guimarães, Fafe, Vizela, Mondim de Basto e Cabeceiras de Basto, onde oferece um suporte a 350.000 habitantes destas regiões. Com um quadro total de 1540 profissionais, sendo destes 1062 profissionais da área de saúde (médicos, enfermeiros e técnicos em saúde), no ano de 2016. Com as seguintes especialidades médicas: cardiologia, dermato-venereologia, gastroenterologia, medicina interna, neonatologia, pediatria, além de especialidade cirúrgicas como: angiologia e cirurgia vascular, cirurgia geral, ginecologia, obstetrícia, ortopedia, otorrinolaringologia e urologia como também psiquiatria e abuso de substâncias, unidades de cuidados intensivos (UCI) em recém nascidos, sendo referenciado com Centro de Excelência em Tratamento de Doenças Lisossomais de Sobrecarga e excelência Europeia como Unidade de Hipertensão e Risco Cardiovascular.

Perspectivando um total de 485 camas e dotado de quase todas as valências Hospitalares, o Hospital é atualmente constituído por três edifícios: um corpo principal com 11 pisos, tendo os dois primeiros pisos edifícios circundantes funcionando como uma espécie de base; o segundo corpo com com três pisos, ligado ao edifício principal, por uma galeria e um terceiro corpo dedicado a consulta externa e cirurgia de ambulatório[3].

Sistemas de Informação

A integração de Sistemas de Informação é imperativa. Nesse sentido, ao longo dos últimos anos, têm vindo a ser realizados grandes esforços de de otimização de infraestrutura da rede informática, no plano da capacidade, fiabilidade, integração e preparação para suporte de novas tecnologias.[4]

TABELA 1- APLICAÇÕES INFORMÁTICAS EM USO NO CENTRO HOSPITALAR SENHORA DA OLIVEIRA GUIMARÃES

Projetos

Projeto Business Inteligent: Este projeto visou o acesso unificado à informação através da utilização de uma ferramenta de suporte à decisão, para a publicação de conteúdos e de formulários, assim como a elaboração de dashboards com indicadores de contrato programa, qualidade, produção, entre outros. A plataforma em causa tem como objetivo a importação de dados das diferentes fontes de informação, bem como o cruzamento da mesma[4].

Software HEPIC: O programa operacional de prevenção e controlo de infeção suportado no software HEPIC, permitiu a criação de uma fonte de dados para a disponibilização de formulários de vigilância epidemiológica em formato digital implementado em diversos serviços, o que facilitou a gestão de todo o processo de vigilância epidemiológica, sendo a principal ferramenta de trabalho dos profissionais da comissão de controlo de infeção [4].

PEM: A aplicação PEM, desenvolvida pela SPMS (Serviços Partilhados do Ministério da Saúde), para a prescrição eletrónica médica, encontra-se em funcionamento com a aplicação S-clínico. Uma das grandes mais valias é a forma de autenticação para o acesso, permitindo mais segurança para clínicos e utentes [4].

Informatização dos serviços prestadores de MCDT´s: procedeu-se à realização deste projeto com o intuito de desmaterializar os relatórios dos pedidos de exame ao exterior, o circuito de aprovação de MCDT´s e outras atividades(administrativas, enfermagem, técnicas, médicas) que suportam o processo de realização de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica [4].

Consulta a tempo e horas(CTH): A execução da consulta a tempo e horas tornou possível efetuar uma melhor gestão do acesso a uma primeira consulta de especialidade, nomeadamente, ,maior transparência no processo de marcação de primeira consulta de especialidade; triagem clínica com a atribuição de níveis de prioridade às situações dos utentes; mais eficácia e eficiência na resposta enquanto instituição prestadora de cuidados; maior facilidade na comunicação entre os nossos profissionais de saúde; e por último, agilização dos processos que interferem no percurso do utente até a consulta, tendo em vista a diminuição do tempo nas várias fases [4].

Desenvolvimentos internos: De forma a melhorar a monitorização dos dados, o Hospital desenvolveu internamente cerca de 30 aplicações informáticas, destacando-se as seguintes:

  1. GesFoco: que permite o registo de toda a atividade do Centro de Formação;
  2. TARV: que através da interação em tempo real com o SONHO, facilita os registos de consultas e dispensas de terapias Anti Retrovirais;
  3. FIAQuali: ferramenta informática de autoavaliação da qualidade organizacional;
  4. PAI: uma aplicação de gestão de pedidos de acesso à informação;

Têm vindo a ser otimizados os programas existentes, que agrupam informação relativa ao SONHO, S-clínico, e restantes aplicações [4].

Descrição das aplicações

GooPortal- permite uma abordagem RAD (Rapid Application Development) para garantir uma construção rápida, eficiente e evolutiva do seu sistema de informação global. Esta plataforma de desenvolvimento está assente em tecnologia que permite a modelação de processos, fluxos, desenho de modelos, estruturação de menus, configuração de permissões, integradas de forma a que numa geografia universal, em multi-idioma e em qualquer equipamento construir o seu sistema de informação, criando um verdadeiro valor acrescentado ao seu negócio e integrando todas as suas estruturas[5].

Integração RIS/PACS/HL7- Enquanto o RIS é responsável pelo fluxo do trabalho da instituição, gerenciando os agendamentos, históricos do paciente e o laudo, o PACS realiza a gestão, armazenamento e visualização dos exames. Ambos precisam trabalhar juntos para otimizar o ambiente de qualquer instituição de saúde com um departamento de radiologia[6].

Software GHAF(Gestão Hospitalar de Armazém e Farmácia) e PREL- A grande vantagem desta solução é a possibilidade de se obterem sinergias decorrentes da integração plena, em ambiente uniforme nas soluções Compras/Gestão e Imobilizado/Manutenção, evitando desta forma integrações entre software diferentes e todos os problemas que daí decorrem[7].

ObsCare- (Sistema de registo clínico eletrónico que dá suporte completo a prática ginecológica e obstétrica) É um software de recolha de dados que a virtual Care está a implementar em todos os serviços de Ginecologia dos hospitais públicos do Norte de Portugal com o intuito de recolher dados para o tratamento dos paciente, para gestão da instituição, assim como para pesquisa[8].

PacsSectra- O extenso conjunto de ferramentas e portfólio de aplicativos clínicos reduz a necessidade de aplicativos especializados de terceiros - para diagnósticos de baixo custo. O conjunto de aplicativos de diagnóstico permite fluxos de trabalho clínicos eficientes nos departamentos com maior intensidade de imagem. As soluções da Sectra são todas construídas na mesma plataforma técnica, permitindo a colaboração interdepartamental e fluxos de trabalho de diagnóstico integrados[9].

SIIMA - Sistema de gestão de várias áreas clínica, com sistema de agendamento transversal e moldável a diferentes especialidades, facturação, execução de exames e com interoperabilidade a outros sistemas como: HIS (SONHO, SINUS, SAM, HOSIX, etc.), ALERT-ER®, HL7 com PACS da AGFA, Carestream, Philips, Fujifilm, Rogan e Sectra. Integração com equipamentos de diagnóstico de diversas especialidades, reconhecimento de voz em Português Europeu, ditado digital e importação de relatórios do exterior[10].

SONHO- Sistema Integrado de Informação Hospitalar desenvolvido para suporte ao serviço administrativo dos hospitais, assegura o controlo da produção e da faturação, permitindo a exportação de informação para indicadores estatísticos[11].

S-CLÌNICO- É um sistema de informação evolutivo, desenvolvido pela SPMS, que nasce da vasta experiência com duas anteriores aplicações usadas por milhares de médicos, enfermeiros e outros técnicos de saúde: o SAM (Sistema de Apoio ao Médico) e o SAPE (Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem). Tem crescido para ser uma aplicação única, comum a todos os prestadores de cuidados de saúde e centrada no doente[12].

B-ICU-CARE- software de gestão diária de pacientes em cuidados intensivos, onde se realiza a exploração de dados recolhidos numa unidade de cuidados intensivos[13].

MAXPRO - produto da SISQUAL têm por principal funcionalidade gestão de funcionários e níveis organizacionais. Atuando nos departamento de recursos humanos, chefias dos departamentos[14].


Conclusão

O armazenamento correto de dados, o treinamento de pessoal, a manutenção frequente do software, investimentos constantes na área da tecnologia da informação por parte das empresas ou pelo governo, são ações básicas para a informatização do Setor de Saúde e com a realização do presente trabalho, foi possível perceber o enorme desafio que os Hospitais Públicos Portugueses enfrentam em torno desse processo e de todo o seu processo de integração.

Embora haja claros avanços em torno de aquisição de Sistemas de informação no Centro Hospitalar Senhora da Oliveira Guimarães, existe ainda um grande trabalho a ser feito de modo a garantir a interoperabilidade entre todos os departamentos do hospital. Foi também possível perceber que a maior parte dos sistemas existentes no referido Centro hospitalar foram adquiridos de fornecedores externos e que têm vindo a ser desenvolvidos projetos internos de modo a optimizar os programas existentes.


Bibliografia

[1] Albertin, A. L., & Albertin, R. M. de M. (2008). Benefícios do uso de tecnologia de informação para o desempenho empresarial. Revista de Administração Pública, 42(2), 275–302. https://doi.org/10.1590/S0034-76122008000200004

[2] Da Silva J.M.P. A importância dos sistemas de nformação para as orgaizações, Monografia, Universidade do Paraná, 2014

[3] http://www.hospitaldeguimaraes.min-saude.pt/Lservico.asp?c=6. Acessado no dia 01/05/2018 pelas 4h.

[4] http://www.hospitaldeguimaraes.min-saude.pt/Lservico.asp?c=206. Acessado no dia 05/05/2018

[5] http://www.idryl.pt/GooPortal_Pt.htmlAcessado no dia 03/05/2018 pelas 12h.30mnts

[6] http://spms.min-saude.pt/2018/05/ris-2020/Acessado no dia 01/05/2018 pelas 11h.30mnts

[7] http://www.stisaude.co.mz/?page_id=1182Acessado no dia 02/05/2018 pelas 10h.30mnts

[8] https://noticias.up.pt/investigadores-do-cintesis-levam-inovacao-aos-hospitais-do-norte/.Acessado no dia 01/05/2018 pelas 9h.

[9] https://sectra.com/medical/product/sectra-radiology-pacs-ris/.Acessado no dia 01/05/2018 pelas 13h.30mnts.

[10][SiiMA] First > Soluções > SiiMA. [Online]. Available: http://www.first-global.com/pt-pt/Solucoes/SiiMA. [Accessed: 01-May-2018].

[11] “SONHO V2,” SPMS. [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/product/sonho/. [Accessed: 04-May-2018].

[12]http://spms.min-saude.pt/product/sclinicohospitalar/.Acessado no dia 01/05/2018 pelas 16h.30mnts

[13] R. P. C. da Silva, “Indicadores de gestão em cuidados intensivos,” Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Engenharia do Porto, Oct-2012.

[14] F. R. Silva, “Impactos de SI da SISQUAL sobre a produtividade e satisfação no trabalho - Áreas da Saúde e Retalho,” thesis, 2014.

Sistemas de Informação
Nome do Sistema Especialidade/Serviço Fornecedor Data início do contrato Valor de aquisição
SONHO Cuidados de Saúde Primários e Cuidados Hospitalares SPMS -- --
S-CLíNICO Registo clínico eletrónico dos cuidados de saúde primários e secundários SPMS -- --
VC-OBSCARE Sistema de registo clínico eletrónico que dá suporte completo à prática ginecológica e obstétrica. Virtual Care Lda -- --
PEM Prescrição Eletrônica de Medicamentos ST+i - Serviços Técnicos de Informática,Unipessoal, LDA 03/06/15 33.800 €
PACS SECTRA Arquivo e comunicação de Imagem Digital ART CES Unipessoal Lda 20/04/17 37.243 € (manutenção)
PAI Gestão de pedidos e acesso à informação Desenvolvimento interno do HSOG -- --
FIAQUALI Avaliação de qualidade organizaciona Desenvolvimento interno do HSOG -- --
GOOPORTAL Gestão de produtividade IDRYL Consulting 20/10/14 8.400 €
Sistema de Auditoria de Infromação Gestão da informação Antonio Carlos Silva Abelha 17/06/16 5.000 €
Sistema de Gestão de Doentes Gestão de doentes José Carlos Ferreira Maia Neves 17/06/16 5.000 €
Sistemas de Monitorização de Prescrição de Medicamento Gestão de prescrição de medicamentos Manuel Filipe Vieira Torres dos Santos 17/06/16 5.000 €
B-ICU-CARE Serviços de anestesiologia e unidades de cuidados intensivos B-Simple Sistemas de Informação Lda 02/04/14 21.600 € (manutenção)
CLINIDATA Gestão de laboratórios de análises clínicas e de diagnóstico Maxdata Software S.A 20/04/17 28.873 € (manutenção)
PrEl Prescrição Eletrônica ST+i - Serviços Técnicos de Informática, Unipessoal, LDA 20/04/17 28.847 € (manutenção associada ao GHAF)
MAXPRO Gestão Hospitalar de mão de obra SISQUAL - Empresa de Investigação e Desenvolvimento de Sistemas Informáticos,Lda 13/03/17 6.076,78 € (manutenção)
SiiMA Gestão de fluxo de exames First Solutions Sistemas de Informação S.A 15/12/15 27.196 € (manutenção)
GHAF Gestão Hospitalar Armazém e Farmácia ST+i - Serviços Técnicos de Informática, Unipessoal, Lda 20/04/17 27.847 € (manutenção associada ao PrEl)