Logical Observations, Identifiers, Names and Codes

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Logical Observations, Identifiers, Names and Codes
Designação Logical Observations, Identifiers, Names and Codes
Sigla LOINC
Ano de Criação 1994
Entidade Criadora Instituto de Regenstrief
Entidade Gestora Instituto de Regenstrief
Versão Atual LOINC 2.54 e RELMA 6.12
Área(s) de Aplicação Informação Clínica e Laboratorial


LOINC

Logical Observation Identifiers Names and Codes (LOINC) é uma base de dados e uma norma universal que utiliza uma linguagem comum (conjunto de identificadores, nomes e códigos) para identificar observações clínicas e laboratoriais [1].

Introdução

LOINC foi desenvolvida e é mantida, desde 1994, pelo Regenstrief Institute, uma organização americana de pesquisa médica sem fins lucrativos, em resposta à demanda de uma base de dados eletrónica para atendimento clínico e de gestão. O Regenstrief Institute desenvolveu a LOINC como Open Source. Está disponível ao público, sem nenhum custo, desde a sua criação. É apoiada pela American Clinical Laboratory Association e pelo College of American Pathologists e tem vindo a ser expandida para incluir não apenas os nomes de códigos médicos para laboratório, mas também diagnóstico e intervenções de enfermagem , resultados de classificação , e conjuntos de dados do atendimento ao paciente. Sendo assim, a base de dados do LOINC fornece um sistema de codificação universal para relatórios laboratoriais ou outras observações clínicas [1].


O seu propósito é identificar observações em mensagens electrónicas como as mensagens de observação Health Level Seven (HL7), para que quando Hospitais, organizações de saúde e departamentos de saúde públicos entre outras, recebam essas mensagens de múltiplas fontes, possam automaticamente registar/armazenar os resultados no local correto dos seus registos médicos, de investigação, e/ou sistemas de saúde públicos.

Se pensarmos numa observação como uma "pergunta" e o valor do resultado da observação como uma "resposta": os códigos LOINC representam a "pergunta" para um determinado teste / medição. Sempre que necessário, os códigos de outras normas (ex. SNOMED CT) representam a "resposta". Contudo nem sempre é preciso um código para o valor do resultado. Para obter resultados quantitativos, a "resposta" é apenas o valor numérico (nas unidades de medida associadas).

A maioria dos sistemas clínicos e laboratoriais enviam dados usando o padrão HL7 [2]. Na Fig. 1, na mensagem HL7, os resultados do teste utilizam um código LOINC que identifica a pergunta e um código SNOMED CT que representa a resposta:

Loinc fig1.png

Fig. 1 - Mensagem HL7. LOINC.

A mensagem HL7 contém um registo para cada observação em separado. Neste registo um campo identifica o teste, ex. Bacteria Bld Cult, e outro o seu resultado, Klebsiella pneumoniae. Estes registos de observações contêm outros campos para relatar as unidades de medida, o intervalo de referência, avisos, e outra informação. Na nomenclatura HL7, o campo que identifica a observação denomina-se de OBX-3, e o que identifica o resultado de OBX-5 [2].

Âmbito do LOINC

O âmbito global do LOINC é qualquer coisa que se possa testar, medir, ou observar sobre um paciente. Geralmente, distinguem-se duas áreas principais relativamente ao conteúdo LOINC: Laboratório e Clínica.

Laboratório

A parte laboratorial de LOINC cobre qualquer coisa que seja possível testar, medir, ou observar acerca de uma amostra/espécime. Normalmente contém as categorias de química, hematologia, sorologia, microbiologia (incluindo parasitologia e virologia), toxicologia; bem como as categorias para as contagens de células, suscetibilidades aos antibióticos, e muito mais.

Clínica

Quando pensamos em "clínica", pensamos em praticamente tudo, exceto laboratório. A parte clínica do LOINC cobre qualquer coisa que seja possível testar, medir ou observar sobre um paciente sem remover o espécime/amostra do paciente. LOINC tem códigos para observações tais como sinais vitais, hemodinâmica, admissão / saída, ECG, ultrassonografia obstétrica, ecocardíaco, imagiologia urológica, procedimentos gastro endoscópicos, gestão de ventiladores pulmonares, estudos de radiologia, documentos clínicos, instrumentos de pesquisa selecionados (por exemplo, Glasgow Coma Score, PHQ -9 escala de depressão, CMS- instrumentos necessários de avaliação do paciente), e outras observações clínicas.

Estrutura e Propósito

O objetivo do LOINC é criar códigos diferentes para cada teste, medição ou observação que tem um significado clínico diferente. Para alcançar isso os códigos LOINC distinguem uma dada observação (teste pedido/reportado, pergunta da pesquisa, documento clínico) em seis dimensões que chamamos de Parts:

  • Componente (analito).
A substância ou entidade a ser medida ou observada.
  • Propriedade.
A característica ou atributo do analito.
  • Tempo.
O intervalo de tempo durante o qual foi feita uma observação.
  • Sistema (Espécime).
O espécime ou coisa sobre a qual a observação foi feita.
  • Escala.
Como o valor da observação é quantificado ou expresso: quantitativa, ordinal, nominal.
  • Método. [OPCIONAL]
Uma classificação de alto nível de como a observação foi feita. Só é necessário quando a técnica afeta a interpretação clínica dos resultados.


Por exemplo, para uma contagem manual de glóbulos brancos numa amostra de líquido cefalorraquidiano, que é representado pelo código LOINC 806-0:

  • Componente (Analito).
Leucócitos (glóbulos brancos).
  • Propriedade.
NCnc (Número, concentração)
  • Tempo.
Pt (Ponto no tempo)
  • Sistema (Espécime).
CSF (líquido cefalorraquidiano)
  • Escala.
Qn (Quantitativa)
  • Método.
Contagem manual.


Nomes

LOINC cria várias etiquetas de texto diferentes (nomes) para representar cada conceito. Designa-se o nome formal de seis partes [3]. , descrito acima, como Fully-Specified Name (FSN). Para facilitar a exibição ao utilizador usa-se uma designação mais favorável denominada de Long Common Name (LCN) e um Short Name útil para utilizar como um cabeçalho num relatório. O nome formal deve incluir entradas paras cada uma das 6 partes definidas anteriormente.

Os nomes LOINC para o exemplo anterior com o código 806-0 são:

Fully-Specifed Name (FSN)
Leucócitos: NCnc: Pt: CSF: Qn: Contagem manual
Long Common Name (LCN)
Leucócitos [#/volume] no fluído cerebrospinal por contagem manual
Short Name
WBC # CSF Manual

Na Tabela 1 podem ver-se outros exemplos.

Tabela 1. Exemplos de termos e nomes clínicos LOINC separados por colunas.
Código Componente Propriedade Tempo Sistema Escala Método
8302-2 BODY HEIGHT: LEN PT ^PATIENT QN
3140-1 BODY SURFACE: AREA PT ^PATIENT QN DERIVED
8331-1 BODY TEMPERATURE: TEMP PT MOUTH QN
8632-2 QRS AXIS: ANGLE PT HEART QN EKG
8642-1 PUPIL DIAMETER: LEN PT EYE.RIGHT QN AUTO
21611-9 AGE: TIME PT ^PATIENT QN ESTIMATED
19867-1 CAPACITY.VITAL: VOL PT RESPIRATORY SYSTEM QN
9279-1 BREATHS: NRAT PT RESPIRATORY SYSTEM QN
11882-8 GENDER: FIND PT ^FETUS QN US

Medições discretas e coleções

LOINC cria códigos para testes laboratoriais e observações clínicas que representam tanto uma medição discreta ou uma "coleção" de medições.

Medidas discretas / observações

  • Testes laboratoriais individuais (ex. glicose [mg/dL] na urina);
  • Questões num inquérito ou formulário (ex. “É capaz de altar para cima e para baixo?”);
  • Medições num paciente (ex. peso corporal);
  • Elementos distintos num relatório (ex. observações físicas acerca da marcha).

Coleções

  • Painel de testes laboratoriais (ex. contagem sanguínea completa com um painel auto diferencial);
  • Conjunto de questões num inquérito ou formulário (ex. PROMIS item pediátrico do banco para a asma);
  • Grupo de medidas clínicas de um paciente (ex. painel de temperatura corporal);
  • Documento ou relatório (ex. sumário de alta).

Recursos

Existem vários recursos para ajudar a mapear termos para LOINC. Pode encontrar-se online uma aplicação , http://search.loinc.org, para pesquisar e identificar códigos LOINC, com uma interface simples e poderosa ( Fig.2).


Loinc fig2.png

Fig.2 - Site para pesquisa de termos e códigos LOINC.


Outra alternativa é a utilização da versão completa do Regenstrief LOINC Mapping Assistant (RELMA) [4]. que consiste numa ferramenta poderosa para não só pesquisar mas também para o mapeamento dos termos locais para LOINC.

Algumas das principais características do RELMA incluem:

  • Capacidade de importar um conjunto de termos locais a partir de uma mensagem HL7;
  • Processo automatizado para encontrar uma lista ordenada dos termos LOINC possíveis para cada código local;
  • Opções de exibição flexível que permite visualizar os detalhes sobre um determinado LOINC;
  • Interface incorporada para apresentação ao Regenstrief de novos códigos LOINC;
  • Procura Multi lingual;
  • Conexão a um repositório da comunidade de outros testes locais mapeados para LOINC

Existe ainda a possibilidade de fazer o download do pacote completo que contém tudo o necessário para executar o programa RELMA junto com a Tabela LOINC nos formatos de base de dados e de texto MS Access ™.

Toda a informação acerca da adopção, implementaçao e desenvolvimento LOINC pode ser encontrada online [5] .

Bibliografia

  1. 1,0 1,1 McDonald CJ, Huff SM, Suico JG, et al. A universal standard for identifying laboratory observations: A 5-year update Clin Chem 2003;49:624-633.
  2. 2,0 2,1 Health Level Seven, version 2.4. An application protocol for electronic data exchange in healthcare environments 2002 Health Level Seven Ann Arbor, MI.
  3. Lee L-H, Groß A, Hartung M, Liou D-M, Rahm E. A multi-part matching strategy for mapping LOINC with laboratory terminologies. Journal of the American Medical Informatics Association : JAMIA. 2014;21(5):792-800. doi:10.1136/amiajnl-2013-002139.
  4. Regenstrief Institute. RELMA Regenstrief LOINC Mapping Assistant user manual.[ONLINE]. Disponível: http://loinc.org/relma/ .(Acedido em 16 Abril de 2016).
  5. LOINC. Recommended Readings. [ONLINE]. Disponível: https://loinc.org/documentation/recommended-readings.html .(Acedido em 16 Abril de 2016).