Monitorização remota aplicada ao seguimento de doentes com dispositivos electrónicos cardiovasculares implantáveis

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Monitorização remota aplicada ao seguimento de doentes com dispositivos electrónicos cardiovasculares implantáveis
Autor Paulo Jorge Fernandes Dias da Costa
Orientador Pedro Pereira Rodrigues
Co-Orientador António Cândido de Freitas Fernandes Hipólito dos Reis
Data de Entrega 2010/12
URL http://hdl.handle.net/10216/55353
Palavras-chave Follow-up, Seguimento clínico, Avaliação remota, Estudo observacional, Dispositivo eletrónico cardiovascular implantável
Resumo

O follow-up tradicional é ainda uma actividade que, além de servir uma população cada vez maior, requer um gasto considerável de tempo e recursos técnicos e humanos diferenciados.


O objectivo nuclear deste estudo é avaliar a aplicabilidade do sistema de monitorização remota CareLink™ como alternativa de seguimento nos doentes portadores de dispositivos de cardioversão-desfibrilhação e/ou ressincronização, entre consultas presenciais. Foram definidos outcomes em dois grupos de análise: a.) aspectos clínicos e b.) aspectos não-clínicos.


A metodologia deste estudo foi definida a priori, com recurso a um painel de peritos, que a validou. Enquadra-se como um estudo observacional, prospectivo e longitudinal, sendo a população amostrada por conveniência. A recolha dos dados foi realizada em quatro momentos: duas visitas clínicas presenciais (no início e no final do estudo) e duas avaliações remotas (aos seis e nove meses de follow-up), pretendendo reproduzir um ano de seguimento clínico. A obtenção dos dados foi efectuada por consulta do processo clínico, relatório de implantação, recolha inicial de dados sócio-demográficos, resumo das interrogações das consultas de follow-up e inquérito aplicado no último momento de avaliação presencial.


Em termos clínicos, verificou-se uma associação entre sintomatologia do evento e a forma de identificação do evento, sendo também de considerar a importância desta tecnologia na antecipação do diagnóstico. Em termos não clínicos, observamos que o tempo médio de espera pela consulta poderá influenciar o tipo de seguimento preferido. Em termos de custos, a utilização do método remoto teve a capacidade de reduzir os custos totais do seguimento nesta população.


Este estudo teve algumas limitações, fundamentalmente relacionadas com o tamanho da amostra. Pensamos ser necessária mais investigação neste domínio, em particular com estudos experimentais.


Em conclusão, a utilização deste sistema de monitorização remota é uma alternativa de seguimento nesta população, entre consultas presenciais.