O Ensino da Informática Médica em Angola: Contribuição para uma Estratégia de Desenvolvimento Curricular

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
O Ensino da Informática Médica em Angola: Contribuição para uma Estratégia de Desenvolvimento Curricular
Autor Tomás Hambili Paulo Sanjuluca
Orientador Ricardo João Cruz Correia
Co-Orientador Rosa Celeste dos Santos Oliveira
Data de Entrega 2014/07
URL http://hdl.handle.net/10216/78649
Palavras-chave Informática Médica, Informática da Saúde, Associação de Informática Médica Americana, Associação Internacional de Informática Médica
Resumo

Problema: Nos últimos anos, o ensino da Informática Médica tem sofrido uma grande evolução nas universidades de referência internacional. Foram definidas diretrizes para o ensino nesta área pelas maiores associações em Informática Médica. O ensino da Informática Medica em Angola ainda não se adaptou as estas evoluções.


Objetivo: Definir uma proposta de um programa de reajustes na grelha de conteúdos da disciplina de Informática Médica nos cursos de graduação superior de Medicina em Angola.


Método: Comparar os conteúdos programáticos da Informática Médica a nível dos diferentes currículos nas instituições académicas internacionais de Medicina, através da pesquisa na literatura e em artigos científicos, bem como, nas recomendações, normas e diretrizes de associações internacionais, nomeadamente, da American Medical Informatics Association (AMIA) e a International Medical Informatics Association (IMIA) que abordam o tema da educação da Informática Médica /Saúde. Numa 1ª fase, foi aplicado um questionário aos estudantes de Medicina para avaliar o nível de conhecimento e habilidades em Informática Médica/ Saúde. Na 2ª fase sobre a criação de um protótipo de plataforma de apoio no processo de ensino aprendizagem e na 3ª fases, foi realizado um curso dirigido aos estudantes e docentes de Medicina utilizando o protótipo do Moodle criado e foi ainda aplicado um questionário para avaliar o grau de satisfação dos utilizadores desta plataforma Moodle.


Resultados: Foram aplicados 270 questionários a estudantes de três faculdades de Medicina em Angola, nomeadamente, da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, da Universidade Katyavala Bwila e da Universidade José Eduardo dos Santos. 55.8% do total de uma lista de treze tópicos apresentados não são abordados . O grau de conhecimento e habilidades dos estudantes nos vários domínios exigidos pela AMIA é baixo. Os utilizadores do Moodle avaliam como “bom” e “excelente” os elementos funcionais desta plataforma.97.7% e recomendam a utilização do Moodle para outras disciplinas.


Conclusão: A Informática Médica é uma disciplina emergente nas Faculdades de Medicina de Angola. As competências que os estudantes de Medicina adquirem nesta unidade curricular estão aquém das recomendações sobre educação em Informática Médica indicadas pela IMIA,AMIA e praticadas noutras instituições similares. A plataforma Moodle permite melhorar a qualidade do processo de ensino e aprendizagem e, consequentemente, a melhoria da interação entre docente e estudante.