Análise da utilização de EHRs usando teoria de grafos em ficheiros de log

Da aprendis
Revisão das 19h38min de 6 de outubro de 2016 por Maria João Simões (Discussão | contribs)

(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
Análise da utilização de EHRs usando teoria de grafos em ficheiros de log
Autor Luís Miguel Moreira de Sousa
Orientador Ricardo João Cruz Correia
Co-Orientador Pedro Pereira Rodrigues
Data de Entrega 2010
URL http://hdl.handle.net/10216/55379
Palavras-chave Avaliação, Logs, Teoria de grafos
Resumo

Background: A avaliação de ferramentas informáticas na área da saúde é tão importante quanto a própria existência dessas ferramentas pois só assim se pode confirmar se de facto elas conseguem facilitar o trabalho dos profissionais. Nem sempre existe uma forma simples de fazer esta avaliação sendo muitas vezes complicado encontrar uma forma perceptível de apresentar os dados. No entanto, é habitual as aplicações informáticas gravarem ficheiros (chamados logs) que retratam, entre outros, dados sobre a utilização da aplicação.


Objectivos: O objectivo deste trabalho é desenvolver uma ferramenta que, através da análise dos ficheiros de log de aplicações informáticas usadas na saúde, apresente automaticamente uma representação gráfica e intuitiva dos fluxos de utilização destas aplicações e gere recomendações quanto às possíveis acções a tomar para o seu melhoramento.


Desenho do sistema: Um grafo é um diagrama composto por nós e arcos entre esses nós. Fazendo uma analogia entre os nós do grafo e estados na aplicação, e entre os arcos do grafo e transições na aplicação, podem gerar-se grafos ilustrativos da utilização das aplicações. Gerados esses grafos, eles podem ser estudados usando teoria de grafos de modo a permitir extrair informações sobre a forma como as aplicações são usadas. Para este efeito foi inicialmente definido um conjunto de requisitos que os ficheiros de logs devem ter para serem analisados e convertidos em grafos e posteriormente foi montada uma arquitectura de aplicação favorável ao objectivo definido. Foi desenvolvida uma aplicação de interpretação de logs e transformação para grafos com diversas funcionalidades estando entre as mais importantes a capacidade de apresentar uma representação gráfica do grafo com vários tipos de visualização e também a capacidade de aplicar algoritmos da teoria de grafos para gerar recomendações automáticas.


Avaliação: Foram recolhidos logs de diferentes aplicações informáticas activas na área da saúde e estes foram carregados na aplicação desenvolvida. Foram gerados vários tipos de grafos ilustrativos da actividade dos utilizadores nas aplicações. Com vista a gerar recomendações usou-se o algoritmo “CLIQUES” para obter grupos de estados fortemente ligados. Usou-se também um algoritmo “GRAPH MEDIAN” personalizado para encontrar os nós centrais das aplicações. Foi ainda aplicado o algoritmo “INVALID PATH” para determinar caminhos inválidos. Para obtermos uma base de comparação para os nossos resultados um perito no fluxo de informação e um responsável por uma das aplicações foram contactados. Depois de descrevermos ao perito os algoritmos acima apresentados ele deu a sua opinião sobre quais seriam os resultados esperados ao aplicarmos os algoritmos.


Discussão: A aplicação desenvolvida foi analisada em termos das suas funcionalidades e do seu funcionamento. Foi feita a interpretação dos resultados da avaliação comparando a opinião do perito com os resultados obtidos automaticamente pela aplicação desenvolvida de forma a comprovar a relação entre as recomendações emitidas e a realidade das aplicações. Quando esta comparação não foi possível devido a não termos dados de base foi tomada uma abordagem mais crítica, subjectiva e pessoal sobre os resultados emitidos pela aplicação. No final foi expressada a opinião do autor sobre a relevância da aplicação desenvolvida e da abordagem escolhida para responder ao passo da avaliação de aplicações relacionado com a forma como as pessoas utilizam os sistemas.