Análise e Avaliação do Controlo de Qualidade de Dados Hospitalares na Região de Ribeirão Preto

Da aprendis
Revisão das 20h55min de 29 de setembro de 2016 por Maria João Simões (Discussão | contribs)

(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
Análise e Avaliação do Controlo de Qualidade de Dados Hospitalares na Região de Ribeirão Preto
Autor André Luiz Teixeira Vinci
Orientador Domingos Alves
Co-Orientador
Tipo de Dissertação Dissertação de Mestrado
Data de Entrega 2014
URL
Palavras-chave Sistemas de informação em saúde, Qualidade de dados, Folha de alta hospitalar, Saúde coletiva
Resumo


Introdução: A Qualidade de Dados é de extrema importância atualmente pela crescente utilização de sistemas de informação, em especial na área da Saúde. O Observatório Regional de Atenção Hospitalar (ORAH) é tido como referência na coleta, processamento e manutenção da qualidade de informações hospitalares devida a extensa base de dados de informações oriundas das Folhas de Alta Hospitalar de hospitais públicos, mistos e privados da região de Ribeirão Preto. Uma verificação sistemática é feita para melhorar a qualidade desses dados impedindo a existência de incompletudes e inconsistências ao final do seu processamento.


Objetivo: Estabelecer o panorama da qualidade dos dados das altas hospitalares ocorridas em 2012 para cada hospital parceiro do ORAH na região de Ribeirão Preto. Analisar e identificar o ganho ou perda de qualidade durante as etapas de coleta e processamento dos mesmos. Métodos: Análise do fluxo das informações dentro dos hospitais conveniados ao ORAH em conjunto com a análise da qualidade dos dados armazenados pelo ORAH após seu processamento, a partir da criação de indicadores de completude e consistência. Avaliação da qualidade dos dados em cada etapa do protocolo interno de verificação adotado pelo ORAH, a partir da criação de indicadores de qualidade específicos. Por fim, avaliação da concordância entre as informações de uma amostra das Folha de Alta registradas no ORAH e o Prontuário Médico do Paciente por meio da mensuração da sensibilidade, especificidade e acurácia da amostra.


Resultados: Um panorama com foco na produção dos dados dos pacientes e nível de informatização foi elaborado para os hospitais complementarmente a análise de qualidade dos dados do ORAH. Tal análise constatou coeficientes médios de 99,6% de completude e 99,5% de consistência e um percentual de preenchimento acima de 99,2% para todos os campos da Folha de Alta. Por meio do indicador de qualidade elaborado a partir das comparações das dimensões de completude e consistência entre etapas do processamento dos dados pelo ORAH, foi possível averiguar a manutenção na qualidade das informações pela execução dos protocolos de validação e consistência adotados. Entretanto, com a apreciação entre as etapas da dimensão de volatilidade dos valores contidos nos campos, foi possível confirmar e quantificar a ocorrência de mudanças dos campos. A exatidão dos dados presentes na Folha de Alta com os do Prontuário do Paciente também pode ser comprovada pelas altas sensibilidade (99,0%; IC95% 98,8% - 99,2%), especificidade (97,9%; IC95% 97,5% - 98,2%) e acurácia (96,3%; IC95% 96,0% - 96,6%) encontradas na amostra.


Conclusão: Como consequência de todas essas análises, foi possível comprovar a excelência da qualidade das informações disponibilizadas pelo ORAH, estabelecer uma metodologia abrangente para a análise dessa qualidade e definir possíveis problemas a serem enfrentados para a constante melhoria da qualidade das informações presentes na Folha de Alta Hospitalar e no banco de dados do ORAH por completo.