Diferenças entre edições de "Disciplina de Introdução a Informática Médica @UFMG"

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
(Corpo docente)
Linha 32: Linha 32:
  
 
* Renato Antônio Celso Ferreira (Progr. de Pós-Graduação em Ciência da Computação UFMG)
 
* Renato Antônio Celso Ferreira (Progr. de Pós-Graduação em Ciência da Computação UFMG)
* [[user:Rcorreia]]Ricardo João Cruz Correia, José Alberto Silva Freitas e Altamiro Costa-Pereira (Departamento de Ciências da Informação e da Decisão em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Portugal)
+
* [[user:Rcorreia|Ricardo João Cruz Correia]], José Alberto Silva Freitas e Altamiro Costa-Pereira (Departamento de Ciências da Informação e da Decisão em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Portugal)
 
+
  
 
==Conteúdo programático==
 
==Conteúdo programático==

Revisão das 13h29min de 16 de agosto de 2015

Disciplina de Introdução a Informática Médica @UFMG
Depende do Curso Pós-Graduação em Saúde da Mulher
Docente Responsável Zilma Silveira Nogueira Reis, Juliano de Souza Gaspar, Rodney Guimarães
Temas abordados Uso da informática na saúde, Impacto do uso da informática na saúde, Bases de dados, Codificação, Padronização, Interoperabilidade, Indicadores de Saúde, Sistemas de informação para a saúde, Data mining, Sistemas de apoio à decisão clínica

Descrição

Esta disciplina - Introdução à Informática Médica - é lecionado na Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil, e pertence ao Programa de Pós-Graduação em Saúde da Mulher.

Carga horária da disciplina

  • Teórica: 40 horas
  • Prática: 20 horas


Créditos: 5


Objetivos de aprendizagem

  1. Conhecimentos: o aluno terá uma iniciação conceitual e prática aos conteúdos da Informática Médica, aplicados a pesquisa e ao aprimoramento da prestação de cuidados em saúde.
  2. Habilidades: Se tornará apto a utilizar um microcomputador para criar e gerenciar pequenos bancos de dados destinados a pesquisa em saúde, assim como explorar bases de dados disponíveis através de acesso pela internet, como os sistemas eletrônicos de informação em saúde governamentais e mesmo criar pequenos sistemas próprios. Fará interpretação crítica de indicadores da saúde reprodutiva. Irá conhecer exemplos de ferramentas informáticas disponíveis para suporte a decisão e cuidados em saúde, ensino e pesquisa. Será motivado ao trabalho em equipe multiprofissional de saúde e informática para solução de questões relevantes em saúde, próprias da informática médica. Irá experimentar a aprendizagem em centro de computação eletrônica, assim como o potencial deste ambiente para pesquisa multidiscipinar em informática médica.


Corpo docente

  • Profa. Dra. Zilma Silveira Nogueira Reis (Programa de Pós-Graduação em Saúde da Mulher)
  • Prof. Dr. Juliano de Souza Gaspar (Programa de Pós-Graduação em Saúde da Mulher)
  • Prof. Dr. Rodney Guimarães (Pesquisador Visitante)


Professores eventualmente convidados

  • Renato Antônio Celso Ferreira (Progr. de Pós-Graduação em Ciência da Computação UFMG)
  • Ricardo João Cruz Correia, José Alberto Silva Freitas e Altamiro Costa-Pereira (Departamento de Ciências da Informação e da Decisão em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Portugal)

Conteúdo programático

  1. Introdução: o uso da informática em saúde: sua importância, aplicabilidade, recursos necessários, perspectivas atuais e futuras.
  2. O impacto do uso da informática na saúde: influências na relação médico-paciente. A relação do profissional de saúde e a informática, a relação do paciente com a informática, princípios da ética da informação eletrônica.
  3. Modelagem de banco de dados: conceitos básicos, bancos de dados relacionais, aplicações em saúde.
  4. Padronização da informação em saúde: codificação, padrões de interoperabilidade adotados pelo SUS e as contribuições dos profissionais de saúde. Os indicadores de saúde reprodutiva, sua avaliação crítica, fontes de recolha, análise de dados e pesquisas no tema.
  5. Os sistemas de informação eletrônicos em saúde: conceitos, estrutura, vantagens e desvantagens. O prontuário eletrônico do paciente.
  6. Os sistemas de informação eletrônicos aplicados à saúde: apresentação e exploração de sistemas de informação públicos em saúde, nacionais e internacionais (DATASUS, Repositório OMS).
  7. Elaboração e gerenciamento de bancos de dados para projetos de pesquisa em saúde: avaliação de softwares disponíveis - aula prática: Excell, Access, Epi-Info, MedQuest.
  8. Mineração de dados e técnicas de inteligência computacional: conceitos básicos, aplicações em saúde.
  9. Os sistemas informáticos de apoio à decisão clínica em saúde - Conceitos e exemplos da atualidade: suporte à assistência ao parto, suporte ao diagnóstico (telemedicina, softwares para genética, digiscope), aplicações na busca pela evidência científica.


Métodos

  • Aulas teóricas: apresentação dos tópicos e discussão dos conteúdos
  • Aulas práticas e exercícios: acesso aos sistemas de informação eletrônicos em saúde; criação e gerenciamento de bancos de dados: prática em computadores com acesso à internet.
  • Seminário: estudo de publicações científicas a respeito dos temas, seguindo o conteúdo programático da disciplina.
  • Teleconferências com Universidade do Porto (Faculdade de Medicina e Faculdade de Ciências) e ICEX-UFMG (Departamento de Ciência da Computação)


Avaliação

  • Avaliação formativa: a aquisição de habilidades será avaliada durante as atividades práticas.
  • Avaliação de conhecimentos: o domínio dos conteúdos será avaliado por uma trabalho final escrito.
  • Avaliação de desempenho: auto-avaliação


Referências Bibliográficas (bibliografia básica e complementar)

  1. Evaluation Methods in Medical Informatics:. Charles P. Friedman(Author), Jeremy C. Wyatt (Author), E.H. Shortliffe (Foreword), A.C. Smith (Assistant), B. Kaplan (Assistant). Editora Springer 2a edição 2006
  2. Brasil, Lourdes Mattos Informatica em Saude. Ia Edição. Editora: EDUEL, 2008.


Leitura suplementar

  1. DATASUS
  2. OMS - Observatório Geral de Saúde
  3. Sociedade Brasileira de Informática em Saúde
  4. Sociedade Ibero-Americana da Ciência da Informação
  5. Fundação Open EHR