Diferenças entre edições de "International Organization for Standardization"

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Linha 771: Linha 771:
  
  
[[Categoria:Terminologia]]
+
[[Categoria:Norma]]
 
[[Categoria:Conceitos]]
 
[[Categoria:Conceitos]]

Revisão das 16h50min de 31 de julho de 2015

International Organization for Standardization
Designação International Organization for Standardization
Sigla
Ano de Criação 1947
Entidade Criadora
Entidade Gestora
Versão Atual
Área(s) de Aplicação Padronização, Normalização


ISO (International Organization for Standardization) é uma organização independente, não-governamental, constituída por membros de vários países e a maior responsável por a criação de normas internacionais voluntárias.

Como em diferentes países ou línguas o acrónimo seria diferente (em português OIN, em inglês IOS, em brasileiroOIP, ...), os fundadores desta organização decidiram adoptar a forma abreviada da palavra grega isos, que significa igual, para que assim em qualquer país ou em qualquer língua o acrónimo seja sempre o mesmo.

História

Fundadores ISO
Primeiros escritórios ISO em Genebra
Primeira norma ISO
Capa jornal ISO - Maio 1952

Em Outubro de 1946, 65 delegados de 25 países reuniram-se em Londres para discutir o futuro da normalização internacional, onde foi decido criar a ISO. Em Fevereiro de 1947, a ISO foi oficialmente criada, com 67 comissões técnicas.

Em 1949, a ISO tem os seus primeiros escritórios numa casa privada em Genebra, Suiça com 5 funcionários.

Em 1951 é publicada a primeira norma, ISO/R 1:1951 Standard reference temperature for industrial length measurements, desde daí esta norma tem sido actualizada e é agora ISO 1:2002 Geometrical Product Specifications (GPS) - Standard reference temperature for geometrical product specification ISO 1:2002.

Em 1955, na assembleia de Estocolmo, a ISO tem 35 membros e 68 normas.

Nos anos 60, a ISO tenta incluir mais países desenvolvidos na criação das normas internacionais. Em 1961 é criada a DEVCO, uma comissão para o desenvolvimento de assuntos relativos aos países e em 1968 introduz Correspondent membership, que permite a países em desenvolvimento sejam informados dos trabalhos de normalização internacionais sem os custos totais de adesão à ISO.

Em 1971, são criados as duas primeiras comissões no campo ambiental: Qualidade do ar Air quality e Qualidade da água Water quality.

Em 1995, é lançado o primeiro website. Em 2000, a ISO começa a vender as suas normas online.

Em 2007, a ISO muda-se para os seus actuais escritórios em La Voie Creuse, Genebra com quase 150 funcionários.

Em Agosto de 2008, a ISO ganha um Emmy por o seu trabalho na produção de uma norma para a codificação avançada de vídeo Hollywood presents Emmy Award to ITU, ISO and IEC.

Em Novembro de 2010 é criada uma norma que fornece orientações para a responsabilidade social ISO 26000 - Social responsibility.

Em 2012 a ISO tinha 163 funcionários e um total de mais de 19 000 normas publicadas. A ISO cobre quase todos os aspectos de negócios e tecnologias.

Desde a sua criação, a ISO tem publicado mensalmente um jornal com as comissões técnicas, normas publicadas e mudanças administrativas na organização e nos seus membros.


Membros

Há três categorias de membros: membros efectivos, membros por correspondência e membros subscritos. Cada um goza de um nível diferente de acesso e influência no sistema ISO. Isto ajuda à ISO a ser mais inclusiva assim como reconhecer as diferentes capacidades e necessidades de cada órgão nacional de normalização.

Membros efectivos

Ajudam no desenvolvimento e estratégia de normas e podem votar nas reuniões técnicas e politicas. Podem vender e adoptar normas internacionais ISO nacionalmente.

Membros por correspondência

Observam o desenvolvimento de normas e estratégias, participando em reuniões técnicas e politicas como observadores. Podem vender e adoptar normas internacionais ISO nacionalmente.

Membros subscritos

Podem manter-se actualizados sobre o trabalho da ISO mas não podem participar nem vender ou adoptar normas internacionais ISO nacionalmente.

Lista membros

Países membros ISO
País Acrónimo Categoria de membro
Afeganistão ANSA Efectivo
Albânia DPS Correspondência
Argélia IANOR Efectivo
Angola IANORQ Correspondência
Antigua e Barbuda ABBS Subscrito
Argentina IRAM Efectivo
Armênia SARM Efectivo
Austrália SA Efectivo
Áustria ASI Efectivo
Azerbaijão AZSTAND Efectivo
Bahamas BBSQ Correspondência
Barém BSMD Efectivo
Bangladeche BSTI Efectivo
Barbados BNSI Efectivo
Bielorrússia BELST Efectivo
Bélgica NBN Efectivo
Belize BZBS Subscrito
Benin ABENOR Efectivo
Butão BSB Correspondência
Bolívia IBNORCA Correspondência
Bósnia e Herzegovina BAS Efectivo
Botswana BOBS Efectivo
Brasil ABNT Efectivo
Brunei ABCI Correspondência
Bulgária BDS Efectivo
Burkina Faso ABNORM Efectivo
Burundi BBN Correspondência
Camboja ISC Correspondência
Camarões ANOR Efectivo
Canadá SCC Efectivo
Chile INN Efectivo
China SAC Efectivo
Colômbia ICONTEC Efectivo
Congo OCC Efectivo
Costa Rica INTECO Efectivo
Croácia HZN Efectivo
Cuba NC Efectivo
Chipre CYS Efectivo
República Checa UNMZ Efectivo
Costa do Marfim CODINORM Efectivo
Dinamarca DS Efectivo
Dominica DBOS Correspondência
República Dominicana INDOCAL Correspondência
Equador INEN Efectivo
Egipto EOS Efectivo
El Salvador OSN Efectivo
Eritreia ESI Correspondência
Estónia EVS Efectivo
Etiópia ESA Efectivo
Fiji DNTMS Efectivo
Finlândia SFS Efectivo
França AFNOR Efectivo
Gabão AGANOR Efectivo
Gâmbia TGSB Correspondência
Georgia GEOSTM Correspondência
Alemanha DIN Efectivo
Gana GSA Efectivo
Grécia NQIS ELOT Efectivo
Guatemala COGUANOR Correspondência
Guiné IGNM Correspondência
Guiana GNBS Correspondência
Haiti BHN Correspondência
Honduras OHN Subscrito
Hong Kong ITCHKSAR Correspondência
Hungria MSZT Efectivo
Islândia IST Efectivo
Índia BIS Efectivo
Indonésia BSN Efectivo
Irão ISIRI Efectivo
Iraque COSQC Efectivo
Irlanda NSAI Efectivo
Israel SII Efectivo
Itália UNI Efectivo
Jamaica BSJ Efectivo
Japão JISC Efectivo
Jordânia JSMO Efectivo
Cazaquistão KAZMEMST Efectivo
Quênia KEBS Efectivo
Coreia do Norte CSK Efectivo
Coreia do Sul KATS Efectivo
Kuweit KOWSMD Efectivo
Quirguistão KYRGYZST Correspondência
Laos DISM Subscito
Letónia LVS Efectivo
Líbano LIBNOR Efectivo
Lesoto LSQAS Correspondência
Líbia LNCSM Efectivo
Lituânia LST Efectivo
Luxemburgo ILNAS Efectivo
Macau CPTTM Correspondência
Madagáscar BNM Correspondência
Malawi MBS Efectivo
Malásia DSM Efectivo
Mali AMANORM Efectivo
Malta MCCAA Efectivo
Mauritânia DNPQ Correspondência
Maurícia MSB Efectivo
México DGN Efectivo
Moldávia INS Correspondência
Mongólia MASM Efectivo
Montenegro ISME Correspondência
Marrocos IMANOR Efectivo
Moçambique INNOQ Correspondência
Myanmar MSTRD Correspondência
Namíbia NSI Efectivo
Nepal NBSM Efectivo
Holanda NEN Efectivo
Nova Zelândia SNZ Efectivo
Nicarágua DNM Correspondência
Nigéria SON Efectivo
Noruega SN Efectivo
Omã DGSM Efectivo
Paquistão PSQCA Efectivo
Palestina PSI Correspondência
Panamá COPANIT Efectivo
Nova Guiné NISIT Correspondência
Paraguai INTN Correspondência
Peru INDECOPI Efectivo
Filipinas BPS Efectivo
Polônia PKN Efectivo
Portugal IPQ Efectivo
Catar QS Efectivo
Romênia ASRO Efectivo
Rússia GOST R Efectivo
Ruanda RSB Efectivo
Santa Lúcia SLBS Efectivo
São Vicente e Granadinas SVGBS Subscrito
Arábia Saudita SASO Efectivo
Senegal ASN Efectivo
Sérvia ISS Efectivo
Seicheles SBS Correspondência
Serra Leoa SLSB Correspondência
Singapura SPRING SG Efectivo
Eslováquia SOSMT Efectivo
Eslovênia SIST Efectivo
África do Sul SABS Efectivo
Espanha AENOR Efectivo
Sri Lanka SLSI Efectivo
Sudão SSMO Efectivo
Suriname SSB Correspondência
Suazilândia SWASA Correspondência
Suécia SIS Efectivo
Suíça SNV Efectivo
Tajiquistão TJKSTN Correspondência
Tanzânia TBS Efectivo
Tailândia TISI Efectivo
República da Macedônia ISRM Efectivo
Trinidad e Tobago TTBS Efectivo
Tunísia INNORPI Efectivo
Turquia TSE Efectivo
Turquemenistão MSST Correspondência
Uganda UNBS Efectivo
Ucrânia DTR Efectivo
Emirados Árabes Unidos ESMA Efectivo
Reino Unido BSI Efectivo
Estados Unidos ANSI Efectivo
Uruguai UNIT Efectivo
Uzbequistão UZSTANDARD Efectivo
Vietnã STAMEQ Efectivo
Iémen YSMO Efectivo
Zâmbia ZABS Correspondência
Zimbábue SAZ Efectivo

Desenvolvimento de normas

Uma vez que é estabelecida a necessidade para a criação de uma norma, a mesma é desenvolvido um rascunho por um painel de peritos numa comissão técnica. Com este rascunho feito é então partilhado com os membros da ISO para comentários e votação. Se for chegado a um consenso o rascunho passa a uma norma ISO, senão volta para a comissão técnica para refinamento. Diagrama de criação de uma norma ISO

Princípios chave

  1. Respondem a uma necessidade. A ISO não decide quando cria uma nova norma, mas responde a um pedido da industria ou dos consumidores. Tipicamente um destes faz um pedido à entidade nacional membro da ISO e depois esta entidade é que contacta a ISO.
  2. São baseadas em opiniões de peritos globais. São desenvolvidas por grupos de peritos de todo o mundo, que fazem parte de comissões técnicas. Estes peritos negoceiam todos os aspectos da norma: scope, definições chave e conteúdo. Comissões técnicas
  3. São desenvolvidas através de um processo de múltiplas partes interessadas. Os comités técnicos são constituídos por peritos na área relevante, associações de consumidores, universidades, ONGs e governo. Quem desenvolve normas ISO?
  4. Baseiam-se num consenso. O desenvolvimento das normas ISO é uma abordagem baseada no consenso e comentários de todas as partes interessadas.

Normas

Uma norma é um documento que fornece requisitos, especificações, directrizes ou características que podem ser usados de forma consistente para assegurar que os materiais, produtos, processos ou serviços são adequados para os seus fins. Estas normas garantem que os produtos são seguros, confiáveis e de boa qualidade. A nível empresarial são ferramentas estrategicas que reduzem os custos, minimizando os desperdícios e erros, e aumentando a produtividade. Ajudam também a entrada em novos mercados e facilitam o comércio justo e livre.

Normas Populares

ISO 9000 - Quality management [1]

ISO 14000 - Environmental management [2]

ISO 3166 - Country codes [3]

ISO 22000 - Food safety management [4]

ISO 26000 - Social responsibility [5]

ISO 50001 - Energy management [6]

ISO 31000 - Risk management [7]

ISO 4217 - Currency codes [8]

ISO 639 - Language codes [9]

ISO 20121 - Sustainable events [10]

ISO 27001 - Information security [11]

ISO 45001 - Occupational Health and Safety [12]

Certificação

A certificação pode ser uma ferramenta poderosa para demonstrar que um produto ou serviço cumpre as expectativas dos clientes. Para algumas industrias a certificação é uma exigência legal ou contratual. No entanto a ISO não oferece nenhum tipo de certificação, nem emite nenhum certificado. Esta acção é realizada por organismos certificados externos. No entanto a comissão para a avaliação de conformidade CASCO produziu uma série de normas relacionadas com o processo de certificação.


Escolha de um organismo de certificação

  1. Avaliar diferentes tipos de organismos de certificação.
  2. Verificar se o organismo utiliza a norma CASCO relevante.
  3. Verificar se o organismo está acreditado, embora não seja obrigatório mas fornece uma confirmação independente de competência.

Para encontrar um organismo de certificação em Portugal contactar o Instituto Português da Qualidade ou visitar o website do Fórum Internacional de Acreditação.

Links Úteis

ISO (International Organization for Standardization)

Instituto Português da Qualidade

Friendship among equals - Recollections from ISO's first fifty years

Membros ISO

Normas ISO em Acção