Diferenças entre edições de "Monitorização de Sinais Vitais"

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Linha 1: Linha 1:
  
== Monitorização se Sinais Vitais ==
+
== Definição de (Monitorização se Sinais Vitais) ==
 
----
 
----
  
Já foram realizados alguns estudos com monitorização contínua de pacientes à distância por dispositivos ainda em teste, mas que trouxeram resultados relevantes para o tratamento, como por exemplo, no caso da esclerose múltipla. Vários parâmetros fisiológicos e de movimento foram avaliados por aparelhos que não mudaram a rotina dos pacientes, mesmo que portados por mais de 48h (YU, BILBERG, STENAGER, 2010).
+
Os sinais vitais são medidas revelam a eficácia das funções corporais circulatória, respiratória, renal, endócrina dentre outras, pois são regulados por órgãos vitais e revelam o estado de funcionamento deles. A variação de seus valores pode indicar problemas relacionados com insuficiência ou excesso de consumo de oxigênio, depleção sanguínea, desequilíbrio eletrolítico, invasão bacteriana, etc. Durante a internação de um paciente, o controle dos sinais vitais é básico para monitorar o seu estado de saúde e servem de indicadores para os profissionais de saúde.
 +
 
 +
== Histórico ==
 +
----
 +
 
 +
Já foram realizados alguns estudos com monitorização contínua de pacientes à distância por dispositivos ainda em teste, mas que trouxeram resultados relevantes para o tratamento, como por exemplo, no caso da esclerose múltipla. Vários parâmetros fisiológicos e de movimento foram avaliados por aparelhos que não mudaram a rotina dos pacientes, mesmo que portados por mais de 48h (YU, BILBERG, STENAGER, 2010).
  
 
Monitoramento à distância em tempo real também tem sido realizado em pacientes cardiopatas; aparelhos não invasivos em teste enviam mensagem via SMS dos sinais vitais dos pacientes, neste caso a frequência cardíaca, e os dados ficam disponibilizados numa pagina da WEB para a equipe médica assistente, que em posse de login e senha podem acessar os dados e analisá-los (HOFFMANN, SIECZKA, 2009).
 
Monitoramento à distância em tempo real também tem sido realizado em pacientes cardiopatas; aparelhos não invasivos em teste enviam mensagem via SMS dos sinais vitais dos pacientes, neste caso a frequência cardíaca, e os dados ficam disponibilizados numa pagina da WEB para a equipe médica assistente, que em posse de login e senha podem acessar os dados e analisá-los (HOFFMANN, SIECZKA, 2009).
Linha 15: Linha 20:
  
 
. HOFFMANN, Fabio Gustavo; SIECZKA, JR. Edson Luiz. Monitoramento Remoto e em Tempo Real de Sinais Vitais. Monografia (Graduação). Universidade Positivo Núcleo De Ciências Exatas E Tecnológicas Curso De Engenharia Da Computação. Curitiba, 2009.
 
. HOFFMANN, Fabio Gustavo; SIECZKA, JR. Edson Luiz. Monitoramento Remoto e em Tempo Real de Sinais Vitais. Monografia (Graduação). Universidade Positivo Núcleo De Ciências Exatas E Tecnológicas Curso De Engenharia Da Computação. Curitiba, 2009.
 +
 +
. HRAVNAK, Marilyn; EDWARDS, Leslie; CLONTZ, Amy; VALENTA, Cynthia; DEVITA,Michael A.;PINSKY, Michael R.. Defining the Incidence of Cardiorespiratory Instability in Patients in Step-down Units Using an Electronic Integrated Monitoring System. Arch Intern Med. 2008 June 23; 168(12): 1300–1308.
 +
 +
. YU, Fei; BILBERG, Arne; STENAGER, Egon. Wireless Medical Sensor Measurements of Fatigue in Patients with Multiple Sclerosis. 32nd Annual International Conference of the IEEE EMBS, Buenos Aires, Argentina, August 31, September 4, 2010.

Revisão das 19h44min de 22 de novembro de 2015

Definição de (Monitorização se Sinais Vitais)


Os sinais vitais são medidas revelam a eficácia das funções corporais circulatória, respiratória, renal, endócrina dentre outras, pois são regulados por órgãos vitais e revelam o estado de funcionamento deles. A variação de seus valores pode indicar problemas relacionados com insuficiência ou excesso de consumo de oxigênio, depleção sanguínea, desequilíbrio eletrolítico, invasão bacteriana, etc. Durante a internação de um paciente, o controle dos sinais vitais é básico para monitorar o seu estado de saúde e servem de indicadores para os profissionais de saúde.

Histórico


Já foram realizados alguns estudos com monitorização contínua de pacientes à distância por dispositivos ainda em teste, mas que trouxeram resultados relevantes para o tratamento, como por exemplo, no caso da esclerose múltipla. Vários parâmetros fisiológicos e de movimento foram avaliados por aparelhos que não mudaram a rotina dos pacientes, mesmo que portados por mais de 48h (YU, BILBERG, STENAGER, 2010).

Monitoramento à distância em tempo real também tem sido realizado em pacientes cardiopatas; aparelhos não invasivos em teste enviam mensagem via SMS dos sinais vitais dos pacientes, neste caso a frequência cardíaca, e os dados ficam disponibilizados numa pagina da WEB para a equipe médica assistente, que em posse de login e senha podem acessar os dados e analisá-los (HOFFMANN, SIECZKA, 2009).

Pacientes internados em unidades de tratamento intensivos também já foram monitorados à distância, por aparelhos eletrônicos integrados e não invasivos, para verificar a questão da instabilidade cardiorrespiratória. O aparelho foi utilizado em 326 pacientes e registrou os seguintes sinais vitais: frequência cardíaca, frequência respiratória, pressão arterial e saturação de oxigênio. Através dessa monitorização integrada contínua concluiu-se que é possível detectar precocemente a instabilidade cardiorrespiratória em pacientes internados em unidades de tratamento intensivo (HRAVNAK, et. al., 2008).


Referências Bibliográficas


. HOFFMANN, Fabio Gustavo; SIECZKA, JR. Edson Luiz. Monitoramento Remoto e em Tempo Real de Sinais Vitais. Monografia (Graduação). Universidade Positivo Núcleo De Ciências Exatas E Tecnológicas Curso De Engenharia Da Computação. Curitiba, 2009.

. HRAVNAK, Marilyn; EDWARDS, Leslie; CLONTZ, Amy; VALENTA, Cynthia; DEVITA,Michael A.;PINSKY, Michael R.. Defining the Incidence of Cardiorespiratory Instability in Patients in Step-down Units Using an Electronic Integrated Monitoring System. Arch Intern Med. 2008 June 23; 168(12): 1300–1308.

. YU, Fei; BILBERG, Arne; STENAGER, Egon. Wireless Medical Sensor Measurements of Fatigue in Patients with Multiple Sclerosis. 32nd Annual International Conference of the IEEE EMBS, Buenos Aires, Argentina, August 31, September 4, 2010.