Diferenças entre edições de "SClinico"

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
 
(Há 7 revisões intermédias de 2 utilizadores que não estão a ser apresentadas)
Linha 14: Linha 14:
  
 
<h2> Descrição breve do sistema</h2>
 
<h2> Descrição breve do sistema</h2>
<p>O SClínico® é o sistema informático desenvolvido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) para as instituições do Serviço Nacional de Saúde. A sua criação, em 2013, permitiu a agregação dos 2 sistemas previamente existentes: o Sistema de Apoio ao Médico (SAM) e o Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem (SAPE).<ref name="exemplo">SPMS E.P.E., “SClínico.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/product/sclinico/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref> </p>
+
<p>O SClínico® é o sistema informático desenvolvido pelos [[Serviços Partilhados do Ministério da Saúde]] (SPMS) para as instituições do Serviço Nacional de Saúde. A sua criação, em 2013, permitiu a agregação dos 2 sistemas previamente existentes: o Sistema de Apoio ao Médico (SAM) e o Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem (SAPE).<ref name="exemplo">SPMS E.P.E., “SClínico.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/product/sclinico/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref> </p>
 
<p>O SClínico® dispõe atualmente de duas versões, o SClínico Hospitalar que se encontra instalado em mais de 50 Centros Hospitalares, Misericórdias e Institutos e que funciona com a base de dados "Sonho V2". Por sua vez, o SClínico Cuidados de Saúde Primários está presente em mais de 300 unidades funcionais, principalmente na região norte do país e funciona sob a base de dados "Sonho-CSP". A vantagem da existência destas duas versões consiste na melhor adaptação do layout gráfico e do método de colheita de dados ao tipo de trabalho de cada profissional de saúde.<ref name="exemplo"/></p>
 
<p>O SClínico® dispõe atualmente de duas versões, o SClínico Hospitalar que se encontra instalado em mais de 50 Centros Hospitalares, Misericórdias e Institutos e que funciona com a base de dados "Sonho V2". Por sua vez, o SClínico Cuidados de Saúde Primários está presente em mais de 300 unidades funcionais, principalmente na região norte do país e funciona sob a base de dados "Sonho-CSP". A vantagem da existência destas duas versões consiste na melhor adaptação do layout gráfico e do método de colheita de dados ao tipo de trabalho de cada profissional de saúde.<ref name="exemplo"/></p>
 
<p>O sistema de base de dados de ambas as versões é gerido em Oracle. A nível hospitalar a base de dados utilizada atualmente é a Sonho V2. Nos cuidados de saúde primários a base de dados está a ser alterada do  SINUS para o “Sonho-CSP”, devido a tecnologia obsoleta da primeira.<ref>SPMS E.P.E., “SONHO – CSP - Sistema Administrativo para os Cuidados de Saúde Primários.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/product/sonho-csp/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref></p>
 
<p>O sistema de base de dados de ambas as versões é gerido em Oracle. A nível hospitalar a base de dados utilizada atualmente é a Sonho V2. Nos cuidados de saúde primários a base de dados está a ser alterada do  SINUS para o “Sonho-CSP”, devido a tecnologia obsoleta da primeira.<ref>SPMS E.P.E., “SONHO – CSP - Sistema Administrativo para os Cuidados de Saúde Primários.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/product/sonho-csp/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref></p>
Linha 21: Linha 21:
  
 
<h2>Lançamento</h2>
 
<h2>Lançamento</h2>
<p>O lançamento do SClínico® decorreu no dia 25 de setembro de 2013 no Auditório do Hospital Pediátrico de Coimbra. Teve como principais inovações a integração do SAM e do SAPE num único software, a redimensão do ecrã (evoluindo de 88x660 para uma resolução máximo de 982x594) e alteração do layout.</p>
+
<p>O lançamento do SClínico® decorreu no dia 25 de setembro de 2013, no Auditório do Hospital Pediátrico de Coimbra. Teve como principais inovações a integração do SAM e do SAPE num único software, a redimensão do ecrã (evoluindo de 88x660 para uma resolução máximo de 982x594) e alteração do layout.</p>
 
<p> [[Ficheiro:evolução_SClinico.png]] </p>
 
<p> [[Ficheiro:evolução_SClinico.png]] </p>
<p>Contudo, a estrutura principal de cada ecrã, bem como as funcionalidades existentes não sofreram qualquer alteração. Na nova versão as cores predominantes são o azul e o cinzento. Outras novidades na apresentação foram a possibilidade da nota de alta integrada com a informação médica e de enfermagem numa só. O eBoletim e a Plataforma de Dados em Saúde também foram incluídas com o desenvolvimento do SClínico. Adicionalmente, foram integrados a Prescrição Médica Eletrónica (PEM), a Prescrição de Cuidados Respiratórios Domiciliários (PCRD) e o Sistema de Informação de Acompanhamento dos Doentes com HIV/Sida (SI-VIDA).<ref>SPMS E.P.E., “Apresentação do SClínico em Coimbra.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2013/09/apresentacao-do-sclinico-em-coimbra-2/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref></p>
+
<p>Contudo, a estrutura principal de cada ecrã, bem como as funcionalidades existentes não sofreram qualquer alteração. Na nova versão as cores predominantes são o azul e o cinzento. Outras novidades na apresentação foram a possibilidade da nota de alta integrada com a informação médica e de enfermagem, a adição das funcionalidades e-Boletim e Plataforma de Dados em Saúde e a integração dos sistemas Prescrição Médica Eletrónica (PEM), Prescrição de Cuidados Respiratórios Domiciliários (PCRD) e Sistema de Informação de Acompanhamento dos Doentes com HIV/Sida (SI-VIDA).<ref>SPMS E.P.E., “Apresentação do SClínico em Coimbra.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2013/09/apresentacao-do-sclinico-em-coimbra-2/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref></p>
  
 
<h2>SClinico Hospitalar</h2>
 
<h2>SClinico Hospitalar</h2>
<p> A versão SClínico Hospitalar conta com vários módulos. Os módulos que já existiam existentes na versão SAM<ref>M. D. L. Cardoso, “Auditoria a um Sistema de Informação Hospitalar - SAM,” pp. 1–126, 2010.</ref>:</p>
+
<p> A versão SClínico Hospitalar conta com vários módulos de forma a adaptar-se aos diversos tipos de especialidades e organizações dentro de cada hospital. Alguns módulos já existiam na versão SAM<ref>M. D. L. Cardoso, “Auditoria a um Sistema de Informação Hospitalar - SAM,” pp. 1–126, 2010.</ref>:</p>
 
<ul>
 
<ul>
<li>Módulo de Urgência</li>
+
<li>Urgência</li>
<li>Módulo de Consulta Externa </li>
+
<li>Consulta Externa </li>
<li>Módulo de Internamento </li>
+
<li>Internamento </li>
<li>Módulo de Bloco Operatório </li>
+
<li>Bloco Operatório </li>
<li>Módulo de Hospital de Dia </li>
+
<li>Hospital de Dia </li>
<li>Processo Clínico Electrónico</li>   
+
<li>Clínico Electrónico</li>   
 
</ul>
 
</ul>
Módulos acrescentados pelo SClínico®:
+
<p>A introdução do SClínico permitiu a adição de mais alguns módulos:</p>
 
<ul>
 
<ul>
<li>Módulo MCDT’s </li>
+
<li>Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT’s)</li>
<li>Módulo Cirurgia Segura </li>
+
<li>Cirurgia Segura </li>
<li>Notícia de nascimento/eBoletim </li>
+
<li>Nascimento/e-Boletim </li>
<li>Módulo de triagem (Triagem Manchester) </li>
+
<li>Triagem (Triagem Manchester) </li>
<li>Módulo de impressões/Listagens</li>
+
<li>Impressões/Listagens</li>
<li>Módulo de Administração de sistema</li>
+
<li>Administração de sistema</li>
 
</ul>
 
</ul>
<p> O módulo de urgência foi reformulado, surgindo uma nova versão (Modulo de urgência SClínico) no dia 1 de Abril de 2014. O primeiro hospital em que foi instalado foi no Centro Hospitalar do Médio Ave o que permitiu a integração da informação entre o Serviço de Urgência de Famalicão e de Santo Tirso. Permite realizar todos os procedimentos referentes à urgência, desde a admissão até a alta. Faz a recolha de informação sobre hora e local de atendimento, especialidades e profissionais envolvidos e de atos prescritos e realizados.<ref>SPMS E.P.E., “SClínico já tem novo módulo de urgência a funcionar.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2014/04/sclinico-ja-tem-novo-modulo-de-urgencia-a-funcionar/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref></p>
+
<p> O módulo de urgência foi reformulado, surgindo uma nova versão (Módulo de urgência SClínico) no dia 1 de Abril de 2014. O primeiro hospital em que foi instalado foi no [[Centro Hospitalar do Médio Ave]], permitindo a integração da informação entre os Serviços de Urgência de Famalicão e de Santo Tirso. Este sistema permite realizar todos os procedimentos referentes à urgência, desde a admissão até a alta, efetuando a recolha de informação sobre hora e local de atendimento, especialidades e profissionais envolvidos e de atos prescritos e realizados.<ref>SPMS E.P.E., “SClínico já tem novo módulo de urgência a funcionar.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2014/04/sclinico-ja-tem-novo-modulo-de-urgencia-a-funcionar/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref></p>
 
<h2>SClínico Cuidados de Saúde Primários</h2>
 
<h2>SClínico Cuidados de Saúde Primários</h2>
<p>Com a integração do SAM e do SAPE a nível dos cuidados de saúde primários no SClínico® Cuidados de Saúde Primários houve alteração de algumas funcionalidades. Atualmente o sistema de entrada é única para todos os perfis (médico e enfermeiro) na aplicação. Após o login existe um ecrã informativo onde são apresentadas as principais novidades do ministério da saúde e do sistema informática, bem como alguns links e indicadores uteis. Com a entrada no sistema visualiza-se um ecrã principal onde é possível observar:</p>
+
<p>O SClinico Cuidados de Saúde Primários foi  lançado no início de 2014. Integrou o SAM e o SAPE dos cuidados primários num sistema único e apresentou como principais novidades o sistema de entrada único para todos os perfis, a reformulação do layout e o redimensionamento do ecrã. Tem como finalidade o registo da informação decorrente dos vários tipos de consulta dos diferentes profissionais num único software, de forma a integrar a informação clínica de cada utente.<ref>SPMS E.P.E., “Centros de Saúde recebem SClínico no início de janeiro.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2013/12/centros-de-saude-recebem-sclinico-no-inicio-de-janeiro/. [Accessed: 17-Apr-2016].</ref></p>
<ul>
+
<p> [[Ficheiro:Entrada_SClinico.png]] </p>
<li>Agenda do Médico</li>
+
<p>O registo médico na aplicação é realizado no menu SOAP, no qual o profissional de saúde pode executar o registo da sua consulta através do método Registo Médico Orientado por Problemas. Desta forma, o médico elabora uma lista de problemas (codificada em ICPC-2) e regista cada consulta num ecrã organizado em 4 campos: S, O, A e P.<ref>R. T. Caeiro, “Registos Clínicos em Medicina Familiar.” pp. 1–48, 1991.</ref></p>
<li>Horário – Períodos de atendimento do profissional de saúde </li>
+
<li>Notificações clínicas</li>
+
<li>Processo do utente</li>
+
<li>Consultas agendadas para o utente selecionado</li>
+
<li>Últimas consultas do utente selecionado</li>
+
<li>Agregado familiar</li>
+
<li>Tarefas do dia do profissional de saúde</li>
+
<li>Hora de início e de termo de contato de enfermagem</li>
+
<li>Mensagens internas</li>
+
<li>Barra com hiperlinks de acesso para:</li>
+
<ul>
+
<li>Consulta (SOAP)</li>
+
<li>Antecedentes pessoais</li>
+
<li>Alergias</li>
+
<li>Agendamento de consulta</li>
+
<li>Notas</li>
+
<li>História Clínica</li>
+
<li>Vigilâncias</li>
+
<li>Processo Clínico</li>
+
<li>PDS</li>
+
<li>Ajuda</li>
+
<li>Sair</li>
+
</ul>
+
</ul>
+
<p>A nível do ecrã SOAP, no qual o profissional de saúde realiza o registo da sua consulta médica está organizado para um Registo Médico Orientado por Problemas. Desta forma, permite a existência de uma lista de problema e uma folha de consulta organizada em 4 campos S, O, A e P.<ref>R. T. Caeiro, “Registos Clínicos em Medicina Familiar.” pp. 1–48, 1991.</ref> </p>
+
 
{| class="wikitable"
 
{| class="wikitable"
! Campo da folha de consulta
+
! Campo do ecrã de consulta
! Definição/Designação
+
! Definição
 
|-
 
|-
 
| style="text-align: center;" | S (Subjetivo)
 
| style="text-align: center;" | S (Subjetivo)

Edição atual desde as 15h42min de 1 de maio de 2018

SClinico
Sigla
Designação SClinico
Data de Lançamento 2013/09/25
Entidade Criadora Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE
Entidade Gestora Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE
Versão Atual
Requisitos Técnicos
Tipo de Licenciamento
Arquitetura Cliente-Servidor
Sistema Operativo
Especialidade Médica Todas
Utilizadores Principais Médicos e Enfermeiros
Função Registo clínico eletrónico dos cuidados de saúde primários e secundários


Descrição breve do sistema

O SClínico® é o sistema informático desenvolvido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) para as instituições do Serviço Nacional de Saúde. A sua criação, em 2013, permitiu a agregação dos 2 sistemas previamente existentes: o Sistema de Apoio ao Médico (SAM) e o Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem (SAPE).[1]

O SClínico® dispõe atualmente de duas versões, o SClínico Hospitalar que se encontra instalado em mais de 50 Centros Hospitalares, Misericórdias e Institutos e que funciona com a base de dados "Sonho V2". Por sua vez, o SClínico Cuidados de Saúde Primários está presente em mais de 300 unidades funcionais, principalmente na região norte do país e funciona sob a base de dados "Sonho-CSP". A vantagem da existência destas duas versões consiste na melhor adaptação do layout gráfico e do método de colheita de dados ao tipo de trabalho de cada profissional de saúde.[1]

O sistema de base de dados de ambas as versões é gerido em Oracle. A nível hospitalar a base de dados utilizada atualmente é a Sonho V2. Nos cuidados de saúde primários a base de dados está a ser alterada do SINUS para o “Sonho-CSP”, devido a tecnologia obsoleta da primeira.[2]

O desenvolvimento do SClínico® pelo Ministério da Saúde tem como objetivo principal a uniformização do registo clínico eletrónico, de forma a normalizar a informação clínica recolhida nas várias instituições de saúde.[1]


Lançamento

O lançamento do SClínico® decorreu no dia 25 de setembro de 2013, no Auditório do Hospital Pediátrico de Coimbra. Teve como principais inovações a integração do SAM e do SAPE num único software, a redimensão do ecrã (evoluindo de 88x660 para uma resolução máximo de 982x594) e alteração do layout.

Evolução SClinico.png

Contudo, a estrutura principal de cada ecrã, bem como as funcionalidades existentes não sofreram qualquer alteração. Na nova versão as cores predominantes são o azul e o cinzento. Outras novidades na apresentação foram a possibilidade da nota de alta integrada com a informação médica e de enfermagem, a adição das funcionalidades e-Boletim e Plataforma de Dados em Saúde e a integração dos sistemas Prescrição Médica Eletrónica (PEM), Prescrição de Cuidados Respiratórios Domiciliários (PCRD) e Sistema de Informação de Acompanhamento dos Doentes com HIV/Sida (SI-VIDA).[3]

SClinico Hospitalar

A versão SClínico Hospitalar conta com vários módulos de forma a adaptar-se aos diversos tipos de especialidades e organizações dentro de cada hospital. Alguns módulos já existiam na versão SAM[4]:

  • Urgência
  • Consulta Externa
  • Internamento
  • Bloco Operatório
  • Hospital de Dia
  • Clínico Electrónico

A introdução do SClínico permitiu a adição de mais alguns módulos:

  • Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT’s)
  • Cirurgia Segura
  • Nascimento/e-Boletim
  • Triagem (Triagem Manchester)
  • Impressões/Listagens
  • Administração de sistema

O módulo de urgência foi reformulado, surgindo uma nova versão (Módulo de urgência SClínico) no dia 1 de Abril de 2014. O primeiro hospital em que foi instalado foi no Centro Hospitalar do Médio Ave, permitindo a integração da informação entre os Serviços de Urgência de Famalicão e de Santo Tirso. Este sistema permite realizar todos os procedimentos referentes à urgência, desde a admissão até a alta, efetuando a recolha de informação sobre hora e local de atendimento, especialidades e profissionais envolvidos e de atos prescritos e realizados.[5]

SClínico Cuidados de Saúde Primários

O SClinico Cuidados de Saúde Primários foi lançado no início de 2014. Integrou o SAM e o SAPE dos cuidados primários num sistema único e apresentou como principais novidades o sistema de entrada único para todos os perfis, a reformulação do layout e o redimensionamento do ecrã. Tem como finalidade o registo da informação decorrente dos vários tipos de consulta dos diferentes profissionais num único software, de forma a integrar a informação clínica de cada utente.[6]

Entrada SClinico.png

O registo médico na aplicação é realizado no menu SOAP, no qual o profissional de saúde pode executar o registo da sua consulta através do método Registo Médico Orientado por Problemas. Desta forma, o médico elabora uma lista de problemas (codificada em ICPC-2) e regista cada consulta num ecrã organizado em 4 campos: S, O, A e P.[7]

Campo do ecrã de consulta Definição
S (Subjetivo) Queixa

atual – Aquilo que o doente refere

O (Objetivo) Achados do exame objetivo e os resultados relevantes dos

exames auxiliares de diagnóstico

A (Avaliação) Diagnósticos

e/ou hipóteses diagnósticas

P (Plano) Terapêutica

proposta, atitudes tomadas, exames auxiliares de diagnóstico solicitados e medidas educativas programadas

É de salientar que em relação a versão do SAM foram acrescentados menus para referenciação hospitalar e alergias.

Referências Bibliográficas

  1. 1,0 1,1 1,2 SPMS E.P.E., “SClínico.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/product/sclinico/. [Accessed: 17-Apr-2016].
  2. SPMS E.P.E., “SONHO – CSP - Sistema Administrativo para os Cuidados de Saúde Primários.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/product/sonho-csp/. [Accessed: 17-Apr-2016].
  3. SPMS E.P.E., “Apresentação do SClínico em Coimbra.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2013/09/apresentacao-do-sclinico-em-coimbra-2/. [Accessed: 17-Apr-2016].
  4. M. D. L. Cardoso, “Auditoria a um Sistema de Informação Hospitalar - SAM,” pp. 1–126, 2010.
  5. SPMS E.P.E., “SClínico já tem novo módulo de urgência a funcionar.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2014/04/sclinico-ja-tem-novo-modulo-de-urgencia-a-funcionar/. [Accessed: 17-Apr-2016].
  6. SPMS E.P.E., “Centros de Saúde recebem SClínico no início de janeiro.” [Online]. Available: http://spms.min-saude.pt/2013/12/centros-de-saude-recebem-sclinico-no-inicio-de-janeiro/. [Accessed: 17-Apr-2016].
  7. R. T. Caeiro, “Registos Clínicos em Medicina Familiar.” pp. 1–48, 1991.