Diferenças entre edições de "SClinico"

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Linha 10: Linha 10:
 
}}
 
}}
  
<h2>Introdução</h2>
+
<h2>[[Introdução]]</h2>
 
<p>O SClínico® é o um sistema informático evolutivo desenvolvido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), que agrega o Sistema de Apoio ao Médico (SAM) e o Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem (SAPE).[1] O sistema de base de dados é desenvolvido em Oracle, denominando-se Sonho. A nível hospitalar encontra-se na sua versão “Sonho V2”, enquanto a nível dos cuidados de saúde primários, o SINUS, devido a sua tecnologia absoluta, foi substituído pelo “SONHO-CSP”.[2]</p>
 
<p>O SClínico® é o um sistema informático evolutivo desenvolvido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), que agrega o Sistema de Apoio ao Médico (SAM) e o Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem (SAPE).[1] O sistema de base de dados é desenvolvido em Oracle, denominando-se Sonho. A nível hospitalar encontra-se na sua versão “Sonho V2”, enquanto a nível dos cuidados de saúde primários, o SINUS, devido a sua tecnologia absoluta, foi substituído pelo “SONHO-CSP”.[2]</p>
 
<p> O desenvolvimento do SClínico® pelo Ministério da Saúde tem como objetivo a uniformização do registo clínico eletrónico, de forma a existir uma normalização da informação recolhida.[1]</p>
 
<p> O desenvolvimento do SClínico® pelo Ministério da Saúde tem como objetivo a uniformização do registo clínico eletrónico, de forma a existir uma normalização da informação recolhida.[1]</p>
 
<p>O SClínico® tem duas versões em que o interface é diferente de forma a responder melhor as necessidade dos médicos conforme o seu local de trabalho. Desta forma, foi desenvolvido o SClínico Hospitalar que se encontra instalado em mais de 50 Centros Hospitalares, Misericórdias e Institutos e o SClínico Cuidados de Saúde Primários que está presente em mais de 300 unidades funcionais, principalmente na região norte do país.[1]</p>
 
<p>O SClínico® tem duas versões em que o interface é diferente de forma a responder melhor as necessidade dos médicos conforme o seu local de trabalho. Desta forma, foi desenvolvido o SClínico Hospitalar que se encontra instalado em mais de 50 Centros Hospitalares, Misericórdias e Institutos e o SClínico Cuidados de Saúde Primários que está presente em mais de 300 unidades funcionais, principalmente na região norte do país.[1]</p>
  
<h2>Lançamento</h2>
+
<h2>[[Lançamento]]</h2>
 
<p>O lançamento do SClínico® foi no dia 25 de Setembro de 2013 no Auditório do Hospital Pediátrico de Coimbra. Teve como principais inovações a integração do SAM e do SAPE num único software, a redimensão do ecrã (evoluindo de 88x660 para uma resolução máximo de 982x594) e alteração do layout (imagem 1). Contudo, a estrutura principal de cada ecrã, bem como as funcionalidades existentes não sofreram qualquer alteração. Na nova versão as cores predominantes são o azul e o cinzento. Outras novidades na apresentação foram a possibilidade da nota de alta integrada com a informação médica e de enfermagem numa só, ao invés de dois documentos distintos como anteriormente, bem como adicionar o eBoletim e a Plataforma de Dados em Saúde. Com esta actualização foi também possível realizar a integração da Prescrição Médica Eletrónica (PEM), Prescrição de Cuidados Respiratórios Domiciliários (PCRD), Sistema de Informação de Acompanhamento dos Doentes com HIV/Sida (SI-VIDA).[3]</p>
 
<p>O lançamento do SClínico® foi no dia 25 de Setembro de 2013 no Auditório do Hospital Pediátrico de Coimbra. Teve como principais inovações a integração do SAM e do SAPE num único software, a redimensão do ecrã (evoluindo de 88x660 para uma resolução máximo de 982x594) e alteração do layout (imagem 1). Contudo, a estrutura principal de cada ecrã, bem como as funcionalidades existentes não sofreram qualquer alteração. Na nova versão as cores predominantes são o azul e o cinzento. Outras novidades na apresentação foram a possibilidade da nota de alta integrada com a informação médica e de enfermagem numa só, ao invés de dois documentos distintos como anteriormente, bem como adicionar o eBoletim e a Plataforma de Dados em Saúde. Com esta actualização foi também possível realizar a integração da Prescrição Médica Eletrónica (PEM), Prescrição de Cuidados Respiratórios Domiciliários (PCRD), Sistema de Informação de Acompanhamento dos Doentes com HIV/Sida (SI-VIDA).[3]</p>
  
<h2> SClinico Hospitalar </h2>
+
<h2> [[SClinico Hospitalar]] </h2>
 
<p> A versão SClínico Hospitalar conta com vários módulos. Os módulos que já existiam existentes na versão SAM[4]:</p>
 
<p> A versão SClínico Hospitalar conta com vários módulos. Os módulos que já existiam existentes na versão SAM[4]:</p>
 
<ul>
 
<ul>

Revisão das 19h05min de 17 de abril de 2016

SClinico
Sigla
Designação SClinico
Data de Lançamento 2013
Entidade Criadora Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE
Entidade Gestora Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE / Administração Central do Sistemas de Saúde, IP
Versão Atual
Requisitos Técnicos
Tipo de Licenciamento
Arquitetura
Sistema Operativo
Especialidade Médica
Utilizadores Principais
Função Registo clínico eletrónico do cuidados de saúde primários e secundários


Introdução

O SClínico® é o um sistema informático evolutivo desenvolvido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), que agrega o Sistema de Apoio ao Médico (SAM) e o Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem (SAPE).[1] O sistema de base de dados é desenvolvido em Oracle, denominando-se Sonho. A nível hospitalar encontra-se na sua versão “Sonho V2”, enquanto a nível dos cuidados de saúde primários, o SINUS, devido a sua tecnologia absoluta, foi substituído pelo “SONHO-CSP”.[2]

O desenvolvimento do SClínico® pelo Ministério da Saúde tem como objetivo a uniformização do registo clínico eletrónico, de forma a existir uma normalização da informação recolhida.[1]

O SClínico® tem duas versões em que o interface é diferente de forma a responder melhor as necessidade dos médicos conforme o seu local de trabalho. Desta forma, foi desenvolvido o SClínico Hospitalar que se encontra instalado em mais de 50 Centros Hospitalares, Misericórdias e Institutos e o SClínico Cuidados de Saúde Primários que está presente em mais de 300 unidades funcionais, principalmente na região norte do país.[1]

Lançamento

O lançamento do SClínico® foi no dia 25 de Setembro de 2013 no Auditório do Hospital Pediátrico de Coimbra. Teve como principais inovações a integração do SAM e do SAPE num único software, a redimensão do ecrã (evoluindo de 88x660 para uma resolução máximo de 982x594) e alteração do layout (imagem 1). Contudo, a estrutura principal de cada ecrã, bem como as funcionalidades existentes não sofreram qualquer alteração. Na nova versão as cores predominantes são o azul e o cinzento. Outras novidades na apresentação foram a possibilidade da nota de alta integrada com a informação médica e de enfermagem numa só, ao invés de dois documentos distintos como anteriormente, bem como adicionar o eBoletim e a Plataforma de Dados em Saúde. Com esta actualização foi também possível realizar a integração da Prescrição Médica Eletrónica (PEM), Prescrição de Cuidados Respiratórios Domiciliários (PCRD), Sistema de Informação de Acompanhamento dos Doentes com HIV/Sida (SI-VIDA).[3]

SClinico Hospitalar

A versão SClínico Hospitalar conta com vários módulos. Os módulos que já existiam existentes na versão SAM[4]:

  • Módulo de Urgência
  • Módulo de Consulta Externa
  • Módulo de Internamento
  • Módulo de Bloco Operatório
  • Módulo de Hospital de Dia
  • Processo Clínico Electrónico

Módulos acrescentados pelo SClínico®:

  • Módulo MCDT’s
  • Módulo Cirurgia Segura
  • Notícia de nascimento/eBoletim
  • Módulo de triagem (Triagem Manchester)
  • Módulo de impressões/Listagens
  • Módulo de Administração de sistema

O módulo de urgência foi reformulado, surgindo uma nova versão (Modulo de urgência SClínico) no dia 1 de Abril de 2014. O primeiro hospital em que foi instalado foi no Centro Hospitalar do Médio Ave o que permitiu a integração da informação entre o Serviço de Urgência de Famalicão e de Santo Tirso. Permite realizar todos os procedimentos referentes à urgência, desde a admissão até a alta. Faz a recolha de informação sobre hora e local de atendimento, especialidades e profissionais envolvidos e de atos prescritos e realizados.[5]