Diferenças entre edições de "SONHO"

Da aprendis
Ir para: navegação, pesquisa
Linha 1: Linha 1:
 
{{Sistemas de Informação em Saúde
 
{{Sistemas de Informação em Saúde
|Designação=SONHO - Sistema Integrado de Informação Hospitalar
+
|Designação=Sistema Integrado de Informação Hospitalar
|Ano de Criação=1998
+
|Sigla=SONHO
 
|Entidade Criadora=INESC, SIS
 
|Entidade Criadora=INESC, SIS
 
|Entidade Gestora=IGIF/ACSS
 
|Entidade Gestora=IGIF/ACSS
|Versão atual=
 
|Especialidade Médica=
 
 
|Função=Administração Hospitalar
 
|Função=Administração Hospitalar
 +
|Ano de Criação=1998
 +
|Versão atual=
 
}}
 
}}
 
====Descrição====
 
====Descrição====

Revisão das 19h51min de 27 de fevereiro de 2015

SONHO
Sigla
Designação Sistema Integrado de Informação Hospitalar
Data de Lançamento
Entidade Criadora INESC, SIS
Entidade Gestora IGIF/ACSS
Versão Atual
Requisitos Técnicos
Tipo de Licenciamento
Arquitetura
Sistema Operativo
Especialidade Médica
Utilizadores Principais
Função Administração Hospitalar

Descrição

O Sistema de Informação para a gestão de Doentes, vulgo SONHO (Sistema Integrado de Informação Hospitalar) foi desenvolvido em parceria pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores (INESC) e pelo Serviço de Informática da Saúde (SIS)[1], com o intuito de responder à crescente necessidade de tornar mais eficiente o trabalho administrativo nos hospitais portugueses. [2] Na sua essência é um sistema ADT (Admission-discharge-transfer / Admissão-alta-transferência), funcionando como pilar fundamental de referenciação de doentes e episódios nas instituições de saúde que o utilizam. Os sistemas ADT são usados para manter o principal índice dos doentes (master patient index); no SONHO os principais identificadores do doente são o número de processo (que não existe para todos os doentes), e o número sequencial (este número não é sempre impresso nas vinhetas dos doentes e por essa razão nem sempre é conhecido pelos profissionais de saúde). O SONHO também tem uma forte componente financeira, permitindo que sejam associados diagnósticos e procedimentos sejam registados como códigos CID. Estes códigos são posteriormente transformados em GDH para fins de facturação.

Links Externos